Placa Mercosul: Emplacamento será feito apenas em credenciadas a partir de fevereiro

O Detran-MS não fará mais o emplacamento e inicialmente 6 empresas credenciadas para prestar o serviço

Como já vem sendo noticiado desde o ano passado, a partir do dia 3 de fevereiro, o Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul) deverá aderir ao novo modelo de PIV (Placa de Identificação Veicular), conhecida como Placa Mercosul. Além dessa mudança, outra novidade é que a partir desta data referida o emplacamento não será mais realizado no Detran, e sim nas empresas credenciadas que poderão vender a nova placa.

Inicialmente são seis empresas credenciadas para prestar o serviço em MS, mas o credenciamento para novas empresas está aberto. “Para poder fazer o emplacamento, a empresa precisa estar de acordo com a Portaria 59 do Detran”, informou o presidente do órgão, Luiz Carlos da Rocha Lima.

A venda de Placas Mercosul será feita diretamente entre a empresa credenciada e proprietário do veículo, não tendo mais necessidade de passar pelo Detran-MS. Diferente da placa ‘antiga’ que custa em torno de R$ 220 para carro e R$ 180 para motocicleta, na venda desse novo modelo não há um valor estipulado, caberá a cada empresa dar seu preço. “Esse processo deverá favorecer o livre comércio já que cada empresa está aberta a negociar seus próprios valores diretamente com o proprietários”, disse o representante da Comissão de Placas do Detran-MS, Arioldo Centurião Junior.

Confira a lista de credenciadas:

Capital

CR Placas (Av. Júlio de castilho, 285, Vila Soares ou na Av. Mascarenhas de Moraes, 1452, Monte Castelo)
Íons Placas Matriz (Rua São Sepê, 350, Coronel Antonino)
MS Placas Matriz (Rua Fernando de Noronha, 239, Vila Sobrinho)
FS Placas (Av. Tamandaré, 3396, São Francisco)

Dourados

FR Placas Matriz (Rua Álvaro Carlos de Lima, 3700, Parque Jequitibás)
GR Placas (Rua Rene de Matos Rocha, 175, Parque Jequitibás)

Três Lagoas

GR Placas Filial (Rua Dr. Oscar Guimarães, 3539, Jardim Morumbi)
FL Placas Matriz (Av. Filinto Muller, 2841, Jardim Novo Aeroporto).

No interior do estado, haverá um prazo de 72 horas para que a empresa responsável pela placa, e escolhida pelo proprietário, faça a entrega da mesma.

Entre os dias 27 de janeiro e 02 de fevereiro, o Detran-MS não estará disponível para o serviço de emplacamento em todo o Estado, tanto nas agências quanto nas empresas. Isso porque o sistema estará em fase de implantação para atuar plenamente no dia 03 de fevereiro já diretamente nas credenciadas.

Mudanças

A nova placa será exigida, inicialmente, para veículos zero quilômetro; transferência de propriedade com município ou unidade federativa distintos ou em caso de se constatar em vistoria, dano, ou violação da placa; veículos que tiveram mudança de categoria, furto, extravio ou roubo de placa; perda ou danos no lacre ou tarjeta.

A troca também deverá ser feita caso haja a necessidade de instalação de segunda placa traseira de engates para reboques ou carroceria intercambiável. Além dessas situações, o proprietário pode optar pela troca a qualquer momento.

O objetivo da adoção deste novo modelo é padronizar e facilitar a identificação de veículos nos países vizinhos e garantir mais segurança contra falsificação e fraudes. A autenticidade das novas placas poderá ser conferida pelos agentes de trânsito por meio de um sistema criado pela Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados).

Novo Modelo

De acordo com o Detran-MS, a nova placa possui mais tecnologia e elementos de segurança. Em vesz de três letras e quatro números, como é atualmente, as novas placas têm três letras, um número, uma letra e 2 números. Por exemplo: BRA 3A18.

(Foto: Ana Palma, Jornal Midiamax)

A Placa Marcosul tem as mesmas medidas do modelo antigo que é 40 cm de comprimento por 13 cm de largura. As placas de motos seguem o mesmo padrão das de carros, mudando apenas a dimensão, que é de 20 cm x 20 cm.

O novo padrão possui um QR Code, gerado pelo Serpro, que armazena informações sobre o fabricante, data da fabricação e o número serial da placa. O código pode ser lido por aplicativo, disponibilizando aos agentes de trânsito dados do veículo, do proprietário, do fabricante e do estampador da placa. “Esse método garante maior segurança, principalmente na questão de clonagem, e as fiscalizações vão ter informações mais atualizadas”, diz Ari Centurião, representante da Comissão de Placas.

O fundo das placas será branco, o que vai variar será a cor dos números e letras. Veículos particulares – preto, comerciais – Vermelho, carros oficiais – azul, especiais para teste – verde, diplomáticos – dourado e colecionador – prata.

Mais notícias