Com 25 mil crianças trabalhando em MS, pandemia pode fazer número aumentar

Mês de junho terá ações voltadas para conscientizar sobre exploração do trabalho infantil

Com estimativa de 25 mil crianças trabalhando em Mato Grosso do Sul, o Ministério Público do Trabalho (MPT) alerta para o risco de crescimento da exploração do trabalho infantil por conta dos impactos decorrentes da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

A preocupação se dá pelo fato de que a crise econômica gerada como consequência da pandemia provoca perda na renda familiar, motivando que muitos pais coloquem os filhos para trabalhar e complementar nas economias domésticas.

Segundo a última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua 2016, do IBGE, em todo o Brasil são pelo menos 2,4 milhões de meninos e meninas entre 5 e 17 anos, sendo que 25 mil deles estão em Mato Grosso do Sul.

Estudo inédito publicado no dia 25 de maio pelo Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FNPETI) revela ainda que mais de 580 mil crianças e adolescentes de até 13 anos trabalham no país em atividades ligadas à agricultura e à pecuária. Só em MS, são 9 mil que atuam nesta área.

Para a secretária executiva do FNPETI, Isa Oliveira, a luta contra o trabalho infantil apresenta desafios ainda maiores no contexto da pandemia. “Crianças e adolescentes estão ainda mais vulneráveis, o que exige do Estado brasileiro medidas imediatas e eficazes para protegê-las do trabalho infantil e proteger suas famílias”, ressalta.

Ações da campanha

Entre as atividades, serão exibidos 12 vídeos nas redes sociais com histórias reais de vítimas, que irão integrar a série “12 motivos para a eliminação do trabalho infantil”. Está prevista ainda a veiculação de podcasts semanais para reforçar a necessidade aprimoramento das ações de proteção a crianças e adolescentes neste momento crítico.

Para marcar o Dia Internacional de Combate ao Trabalho Infantil, 12 de junho, haverá um webinar nacional (espécie de seminário virtual), transmitido pelo canal do Tribunal Superior do Trabalho no Youtube. O evento conta com o apoio e participação do Canal Futura e vai debater questões como o racismo no Brasil, os aspectos históricos, mitos, o trabalho infantil no contexto da Covid-19 e os desafios da temática pós-pandemia.

As ações continuam durante todo o mês de junho, com uma agenda nacional.

Com 25 mil crianças trabalhando em MS, pandemia pode fazer número aumentar
Mais notícias