Com 1,2 mil casos por dia, MS tem 152 leitos de UTI a menos em comparação com 1º pico da pandemia

SES ressalta que conseguiu 68 novos leitos e aguarda habilitação de mais 56 leitos de UTI Covid

chegou ao pico da pandemia e tem uma média móvel de 1.247 casos de coronavírus por dia. Com o aumento de casos, o número de internações também sobe e a taxa de ocupação dos leitos de (Unidade de Terapia Intensiva) Covid chega a 100%. Durante o período de queda de casos, alguns leitos foram desabilitados e, por isso, MS conta com 152 leitos a menos do que no primeiro pico da pandemia.

Dados do boletim epidemiológico da SES (Secretaria de Estado de Saúde) mostram que MS tem 217 leitos de adulto e 9 leitos pediátricos para pacientes com coronavírus. O número é inferior ao registrado meses atrás. A SES afirma que teve 369 leitos de Covid adulto durante o primeiro pico da pandemia de coronavírus. Ou seja, o Estado tem 152 leitos a menos em comparação com o que tinha no primeiro pico da doença.

Mas, afinal, por que houve a desativação dos leitos? A desabilitação dos leitos aconteceu em um período em que os dados eram positivos para . O número de casos, de mortes e a taxa de contágio estavam em queda. Porém, o número de casos voltou a crescer em novembro e agora MS enfrenta o pico da pandemia, com mais de mil casos por dia e uma média móvel de 15,4 óbitos por dia, a maior desde setembro.

Para resolver a situação, a Secretaria de Saúde tem buscado a habilitação de novos leitos de junto ao . A SES explica que foram habilitados recentemente 68 novos leitos. Foram 10 leitos para a ; 25 para o Hospital Regional de ; 5 para o Hospital El Kadri; 8 para Fundação Serviço de Saúde de Nova Andradina; 5 para a Santa Casa de Misericórdia de Paranaíba; 10 para o Hospital Regional Dr. José de Simone Netto, de Ponta Porã e mais 5 para o Hospital Nossa Senhora Auxiliadora de Três Lagoas.

Além disso, a Secretaria aguarda a habilitação de mais 56 leitos de para pacientes com coronavírus: 5 leitos para a Clínica Campo Grande; 10 leitos para a Santa Casa de Corumbá; 5 leitos da Santa Casa de Bataguassu; 5 leitos do Hospital Municipal de Chapadão do Sul; 5 leitos do Hospital Regional de Coxim; 10 leitos do de Dourados, 10 leitos Hospital regional de Ponta Porã e mais 6 leitos do Hospital Marechal Rondon de Jardim.

Os dados mostram que há uma tentativa de recuperar os leitos ‘perdidos’, para que MS volte ao patamar que se encontrava na primeira fase da pandemia. Se contabilizarmos os 68 leitos habilitados e os 56 que aguardam habilitação do aos 217 leitos existentes, pode chegar a 341 leitos de Covid.

Com 1,2 mil casos por dia, MS tem 152 leitos de UTI a menos em comparação com 1º pico da pandemia
Mais notícias