Colônia de Férias é condenada a pagar R$ 300 mil a pais de menino que morreu após queda de muro

Ele faleceu na véspera de Natal em 2014

A associação responsável por uma Colônia de Férias de Campo Grande foi condenada a pagar R$ 150 mil a cada um dos pais de um menino de 12 anos que morreu após um muro cair sob sua cabeça, na véspera do de 2014. Ele foi atingido no peito pela queda de uma mureta que ficava em frente ao banheiro onde iria tomar banho.

A família decidiu passar o na colônia e alugar um bangalô. Após a mãe pedir para o filho ir tomar banho, a criança foi atingida pela queda da mureta ao puxar uma toalha estendida. O menino teve esmagamento de tórax, foi encaminhado à Santa Casa, mas não resistiu.

O laudo da perícia apontou que a mureta desmoronou devido a “vícios na construção”. Os pais do menino alegaram que, após o episódio, a colônia continuou funcionando normalmente e que o bangalô foi construído há mais de 20 anos, existindo rupturas na mureta.

A decisão é da 12ª Vara Cívil de Campo Grande. O juiz Alessandro Carlo Meliso Rodrigues considerou que “o acidente causou lesões de ordem emocional de extrema gravidade nos pais, porque a vida do filho foi tirada, e foram abalados psicologicamente”.

À época, a Colônia de Férias chegou a emitir uma nota de pesar:

O Centro de Convenções e Lazer – Colônia de Férias lamenta profundamente o acidente ocorrido nesta quarta-feira, 24 de dezembro, levando a óbito um menino de 12 anos.

Informamos que o atendimento de urgência aconteceu imediatamente após o acidente e todos os procedimentos de primeiros socorros foram adotados. Em seguida, a vítima foi encaminhada para a Santa Casa de Misericórdia, onde veio a falecer, em consequência de uma hemorragia interna. A Colônia está prestando total assistência à família. Estamos aguardando a apuração do fato ocorrido.

Colônia de Férias é condenada a pagar R$ 300 mil a pais de menino que morreu após queda de muro
Mais notícias