Cotidiano

Coincidência? Desde chegada do coronavírus, MS já teve 1,5 mil mortes por problema respiratório

Em meio a pandemia do Covid-19, o novo coronavírus, Mato Grosso do Sul registrou 669 óbitos por insuficiência respiratória e 919 por pneumonia nos primeiros quatro meses do ano, um total de 1.588 mortes. Insuficiência respiratória e pneumonia são as principais enfermidades relacionadas aos óbitos causados pelo coronavírus. Até esta segunda-feira (27), MS possui apenas […]

Dândara Genelhú Publicado em 27/04/2020, às 15h07 - Atualizado em 28/04/2020, às 13h06

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução - Foto: Reprodução

Em meio a pandemia do Covid-19, o novo coronavírus, Mato Grosso do Sul registrou 669 óbitos por insuficiência respiratória e 919 por pneumonia nos primeiros quatro meses do ano, um total de 1.588 mortes. Insuficiência respiratória e pneumonia são as principais enfermidades relacionadas aos óbitos causados pelo coronavírus.

Até esta segunda-feira (27), MS possui apenas uma morte a menos do que o mesmo período em 2019, que registrou 670 mortes por insuficiência respiratória durante o mesmo período. Os dados fazem parte de um levantamento realizado pelo CRC Nacional (Central de Registro Civil).

Em relação aos óbitos causados por pneumonia, neste ano já foram registrados 919, cerca de 94% das mortes registradas em 2019, que totalizaram 975. Lembrando que os dados são contabilizados de primeiro de janeiro até a esta segunda-feira (27).

No cenário brasileiro, nos quatro primeiros meses do ano foram registrados 59.520 mortes por pneumonia, no mesmo período do ano passado foram 62.923. Já óbitos por insuficiência respiratória chegam a 45.871 até a última sexta-feira (24) e em 2019, no mesmo período, foram 47.841.

De acordo com a SES (Secretaria Estadual do Saúde), do início da pandemia até agora, Mato Grosso do Sul registrou um total 9 mortes confirmadas em decorrência do coronavírus.

Os dados do CRC Nacional representam informações vitais sobre as causas de mortes constantes nos registros de óbitos lavrados pelos cartórios de todo o país e, portanto, não fazem relação direta com o coronavírus.

Jornal Midiamax