Clientes denunciam mutirão de cortes da Energisa em bairros de Campo Grande

Após fim de resolução, moradores dizem que mesmo sem aviso a empresa realiza desligamentos

Com o fim da resolução que proibia cortes de energia em todo o país, moradores de vários bairros de Campo Grande denunciam que a iniciou mutirão para interromper o fornecimento do serviço a quem está em débito.

Entretanto, muitos clientes estão reclamando que não foram notificados sobre o corte. É o caso de Glaucilene Vera, que mora no Portal Caiobá. “Não fui notificada, simplesmente vieram e cortaram a energia”, pontua.

Ainda conforme a moradora, desde terça-feira (04) – 2º dia útil após a liberação dos cortes – veículos da concessionária estão no bairro fazendo os desligamentos. “Tem casos de pessoas que se mudaram de casa e não conseguiram transferir a conta”, relata.

Por outro lado, a informa que as equipes fizeram os desligamentos apenas de clientes que já haviam sido notificados antes da suspensão.

Conforme nota da empresa, os que ficaram com contas em atraso durante a pandemia estão sendo somente notificados. “Desde o dia 1º de agosto, a concessionária envia os reavisos a todos os clientes inadimplentes (passíveis de corte), ou seja, a partir de 15 dias do reaviso, a concessionária pode realizar a suspensão do fornecimento de energia”.

Tumulto

Conforme relatos de clientes, devido aos cortes, houve aglomeração de pessoas na manhã desta quarta-feira (05) no Prático do Aero Rancho.

Porém, a concessionária afirma que não é necessário ir pessoalmente até uma agência, pois todos os serviços prestados podem ser resolvidos pelos canais digitais da empresa.

“Para negociar os débitos, os clientes podem entrar em contato com a empresa pelos canais digitais: Whatsapp da Gisa: 99980-0698, website, aplicativo On ou pelo Call Center 0800 722 7272. Pelo o chat da conversa do Whatsapp, é só escrever ‘Parcelamento’”.

Prorrogação

Nesta quarta-feira (05), o deputado estadual de MS, (sem partido) encaminhou uma solicitação ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e ao diretor-geral da Aneel (Agência Nacional de ) para manter a suspensão do corte da energia elétrica enquanto perdurar o estado de calamidade pública em decorrência do coronavírus.

No início do ano, já havia encaminhado pedidos para suspender tanto o corte de energia elétrica quanto o do fornecimento de água durante o surto da covid-19. À época, a Aneel suspendeu os cortes durante 90 dias, entre 24 de março e 23 de junho.

O prazo foi prorrogado pela Aneel até o dia 31 de julho e não foi deliberado nova prorrogação até este momento.

Clientes denunciam mutirão de cortes da Energisa em bairros de Campo Grande
Mais notícias