Vai viajar? Suspeitas de coronavírus em MS são todos casos de quem esteve no exterior

Boletim revela que ainda não há transmissão dentro do estado

Todos os casos de coronavírus (Covid-19) investigados pela SES (Secretaria de Estado de Saúde) em Mato Grosso do Sul são de pessoas que manifestaram os sintomas de síndrome gripal após viajarem para fora do país.

Na prática, isso revela que ainda não há transmissão do Covid-19 dentro de Mato Grosso do Sul, como ocorreu na Itália – no país europeu, onde houve um surto da doença, eventos públicos estão suspensos até abril para tentar conter o avanço do vírus.

Até a manhã desta terça-feira (10), conforme o boletim epidemiológico da SES, seguiam sob investigação 7 casos, com pacientes que teriam se exposto ao vírus na Itália (3), Estados Unidos (1), Coréia do Sul (1), Espanha (1) e Alemanha (1).

Um dos pacientes é de origem italiana e teve a notificação realizada após procurar atendimento médico em Paranaíba. Os demais casos são de brasileiros, que receberam atendimento em Campo Grande, Dourados e Três Lagoas. No último caso, trata-se de uma mulher de 39 anos que esteve na Alemanha e na Espanha acompanhada do esposo, e que manifestou sintomas de síndrome gripal.

Ao todo, a SES chegou a realizar 30 notificações de casos suspeitos, dos quais 15 foram descartados após exames comprobatórios darem negativo para Covid-19 e outros 8 serem excluídos por não atenderem os critérios para casos suspeitos. A SES não detalhou o estado de saúde dos pacientes sob investigação.

Os números do Covid-19 no Brasil na última segunda-feira (9) apontam 25 casos confirmados, enquanto aqueles sob investigação já são 930, segundo o Ministério da Justiça.

Prevenção é o caminho

Vai viajar? Suspeitas de coronavírus em MS são todos casos de quem esteve no exteriorA prevenção ao coronavírus é simples, e serve também para a maioria dos vírus que são transmissíveis por gotículas de saliva e por contato, como a influenza. O primeiro passo é higienizar as mãos regularmente com água e sabão.

Não é preciso fazer força. Basta esfregar gentilmente as mãos com sabonete ou sabão. Não esqueça a região entre os dedos e unhas, até a altura do pulso, por cerca de 20 segundos. Depois, seque bem com papel descartável. Se não houver água e sabonete, você pode usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.

Também é recomendado higienizar as mãos com álcool em gel após tocar em superfícies compartilhadas, como corrimãos, maçanetas, barra de ônibus, dentre outros.

Outro hábito a ser incorporado na rotina é evitar, com as mãos sujas, toques no rosto e em áreas de mucosa, como olhos, nariz e boca. Ao espirrar e tossir, deve-se usar a parte interna do cotovelo para evitar a dispersão de micro-organismos no ambiente, e limpar o rosto com um lenço descartável, que deve ser colocado imediatamente no lixo.

As máscaras são indicadas a qualquer pessoa que manifeste sintomas gripais, como tosse, espirros e coriza, independente de ser ou não coronavírus, pois os itens ajudam a evitar a dispersão de gotículas de saliva. Porém, elas não têm eficácia de evitar a infecção.

Para prevenir infecções desse tipo, deve-se evitar aglomerações, espaços fechados e contato físico com pessoas com sintomas gripais. Também é recomendado não compartilhar objetos como canudos, talheres, bombas de tereré e chimarrão, piteiras e narguilés.

Por fim, a limpeza de ambientes e superfícies pode ser feita com facilidade usando-se produtos comuns de limpeza, como álcool 70%, água sanitária e desinfetantes em geral.

Vai viajar? Suspeitas de coronavírus em MS são todos casos de quem esteve no exterior
Mais notícias