Carreata contra aumento da gasolina não empolga e vira buzinaço na Afonso Pena

Grupo quer redução do percentual de ICMS sobre o combustível

Manifestação organizada pelo MBL-MS (Movimento Brasil Livre de MS) contra o aumento de 5% no ICMS (Imposto Sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços) da gasolina, em vigor no Estado desde o dia 12 de fevereiro, acabou se transformando em buzinaço na Avenida Afonso Pena, em Campo Grande, devido à baixa adesão.

No final da tarde desta sexta-feira (21), cerca de 20 pessoas se reuniram em frente ao Santuário Estadual Nossa Senhora Perpétuo Socorro. A previsão era que o grupo deixasse o local às 18h em carreata até a frente do MPF (Ministério Público Federal). Mas, ao invés disso, o carro de som levado ao local e os participantes começaram a mobilizar outros motoristas que passavam pela avenida para buzinarem, em manifesto contra o aumento do imposto.

Integrante do MBL-MS explica que manifestações têm por objetivo forçar Governo a reduzir alíquota de ICMS da gasolina. (Leonardo de França, Midiamax)

No último domingo (16), cerca de 50 pessoas se reuniram também para questionar o aumento. Integrante do MBL-MS, Márcia Lima explicou que a intenção das manifestações é forçar o Governo a reduzir os 5% de aumento no ICMS da gasolina.

O movimento quer ainda que o Executivo reduza outros 5% para aproximar o preço do combustível ao do etanol. “É inadmissível o governador gerar impostos para cobrir dívidas dele. Temos a maior carga tributária do País, isso é inadmissível”, pontuou. 

Mais notícias