Campanha orienta campo-grandenses a não darem esmola e acionarem serviço social

Conduta deve ser tomada em relação aos moradores de rua da cidade

Campanha do Seas (Serviço Especializado em Abordagem Social) da prefeitura de Campo Grande orienta a população para que não dê esmolas aos moradores de rua, mas acione os serviços sociais responsáveis pelo acolhimento, onde é oferecida alimentação, higiene pessoal e pernoite.

Conforme a SAS (Secretaria de ), a maior parte das pessoas nessas condições recusa atendimento por saber que ficará sem entorpecentes nos abrigos. Nesse cenário, contribuições à mendicância só aumentam o problema, mesmo sendo feitas com boa intenção por quem doa, pois contribuem para que as pessoas permaneçam nas ruas expostas à violência.

Ao cruzar com alguém nessas condições, a orientação é ligar para ligar para o Serviço Especializado em Abordagem Social, que conta com 7 equipes atuando em regime de plantão 24h. Durante a pandemia, 4 unidades de acolhimento estão sendo colocadas à disposição para pessoas em situação de rua, migrantes e estrangeiros. Os telefones para solicitar equipe de atendimento são o (67) 98404-7529 e 98471-8149.

Os locais de acolhimento são:

  • CETREMI – Centro de Triagem do Migrante e População em Situação de Rua (Endereço: Rua Jornalista Marcos Fernandes, S/Nº Jardim Veraneio / ) → vai atender os casos mais graves e pessoas adictas (capacidade de atender até 60 pessoas)
  • Municipal Pe. Tomaz Ghirardelli (Endereço: Rua Lucia dos nº 578 – Bairro Dom Antônio Barbosa) → capacidade de atender até 60 pessoas, vai atender migrante e imigrante (homens mulheres e famílias)
  • Centro Dia – exclusivo para idosos
  • Municipal Doutor Plínio Barbosa Martins (Endereço: Rua São Pio de Pietrelcina, 430 – Jardim das Macaúbas) → capacidade de atender até 60 pessoas, vai atender população em situação de rua de Campo Grande

 

Campanha orienta campo-grandenses a não darem esmola e acionarem serviço social
Mais notícias