Black Friday: saiba a quem recorrer após o período

A Black Friday é um dos períodos em que há a maior movimentação do comércio físico e eletrônico no Brasil, onde pessoas adquirem uma grande quantidade de produtos em único dia.

 E as medidas iniciais que o consumidor deve se atentar são em relação às possíveis fraudes, que são recorrentes no período, tendo cuidando para não comprar em sites falsos, evitando entrar em sites cujos links foram recebidos por redes sociais, e-mails ou WhatsApp, se certificando se a oferta é mesmo válida, observando se o site possui todos os dados de fornecedor (CNPJ, endereço), entre outros.

 E além dos cuidados antes de realizar suas compras, os consumidores devem estar preparados para eventuais contratempos após o pedido, podendo ter atrasos na entrega, produtos que chegam danificados, produtos com voltagem equivocada, etc.

 Caso se depare com algumas destas questões, há alguns meios para procurar ajuda.

 

SAC ou Ouvidoria das empresas

 A primeira alternativa que o cliente possui para tratar qualquer assunto com as empresas após a Black Friday é o próprio SAC disponibilizado pelas mesmas.

 O ABRI, que reúne as principais centrais de atendimento das empresas, é uma das ferramentas para que o consumidor busque ajuda caso tenha dúvidas ou precise resolver algum contratempo.

 São diversas empresas cadastradas no site, com passo a passo sobre contatá-las, indicação de quais canais são melhores para cada tipo de assunto, etc.

 

Reclame Aqui

 O Reclame Aqui é outra das importantes ferramentas que o consumidor possui para lidar com as empresas. Por lá, muitos usuários costumam relatar suas experiências após adquirirem produtos ou serviços.

 Caso entre em contato com o SAC da loja que precisa de ajuda e não obtenha uma resposta satisfatória, CLIQUE AQUI e encontre a empresa para reclamar.

 

Consumidor.gov

 Uma opção também voltada para registrar reclamações é o Consumidor.gov.br. Ele é um serviço público que permite a interlocução direta entre consumidores e empresas para solução de conflitos de consumo pela internet.

 O site é monitorado pela Secretaria Nacional do Consumidor – Senacon – do Ministério da Justiça, Procons, Defensorias, Ministérios Públicos e também por toda a sociedade.

 

PROTESTE

 Também à disposição está a PROTESTE, que é uma associação sem fins lucrativos, apartidária e independente, que atua junto a fornecedores e autoridades, fornecendo soluções de consumo para a população, suporte ao mercado na correção de falhas e participação no aprimoramento da legislação brasileira.

 Para obter mais informações ou reclamar, basta ACESSAR AQUI.

 

Procon

 Se em nenhuma das alternativas acima o consumidor conseguir ter o seu problema resolvido, o indicado é procurar a unidade do Procon de sua região.

 Tenha à mão os dados necessários ao encaminhamento do problema, como: nome, endereço, telefone do fornecedor, nota fiscal, pedido, contrato e detalhes sobre o produto ou serviço reclamados.

 Quando for necessária a análise da documentação, faça sua reclamação pessoalmente ou por carta, e não deixe de enviar cópias dos documentos, guardando sempre os originais.

Black Friday: saiba a quem recorrer após o período
Mais notícias