Cotidiano

Atendimento psicológico online aumentou 971% durante isolamento social, aponta conselho

Cuidar da saúde mental durante o isolamento social tem sido um desafio para muitas pessoas. Para se ter uma ideia, o PSI (Sistema Conselhos de Psicologia), uma plataforma para profissionais atenderem online, teve aumento de 971,05% em acesso nos últimos meses, segundo o Conselho Regional de Psicologia. Os sintomas mais comuns, despertados pelos pacientes diante […]

Karina Campos Publicado em 10/05/2020, às 08h40 - Atualizado às 16h24

(Foto: Getty | Reprodução)
(Foto: Getty | Reprodução) - (Foto: Getty | Reprodução)

Cuidar da saúde mental durante o isolamento social tem sido um desafio para muitas pessoas. Para se ter uma ideia, o PSI (Sistema Conselhos de Psicologia), uma plataforma para profissionais atenderem online, teve aumento de 971,05% em acesso nos últimos meses, segundo o Conselho Regional de Psicologia.

Os sintomas mais comuns, despertados pelos pacientes diante do novo cenário, é o medo, angústia e ansiedade, causados pelo estresse, excesso de conteúdo e informação sobre o coronavírus (Covid-19), trabalho e problemas de relacionamento dentro de casa. Segundo o psicólogo e vice-presidente do Conselho Regional de Psicologia, Walkes Jacques Vargas, o ideal é procurar caminhos para aliviar a tensão e pensar em novas formas de enfrentar os conflitos.

“Durante o período de exceção, o primeiro passo é tomar as providências necessárias para a proteção pessoal e de toda a família. Sempre seguir as recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde) e autoridades sanitárias locais. Priorizar o cuidado consigo mesmo e com aqueles por quem nutre afeto. Apesar do isolamento físico, manter contato virtual com familiares, amigos e vizinhos formando uma rede de apoio e assistência. Fazer atividades que considera relaxante e que o impliquem a garantir o bem-estar das pessoas e o cuidado com o ambiente”, orienta.

Crianças e adolescentes precisam de atenção

Ainda segundo o profissional, pais e responsáveis devem cultivar a união e parceria com os filhos. Além de prestar atenção em sinais de depressão e ansiedade. Crianças e adolescentes também podem sofrer com isolamento social.

“Cuidar das crianças e sempre manter uma rotina de jogos e brincadeiras com muita criatividade para passar os dias. Oferecer atividades com rotinas, tarefas regulares e apoio emocional aos idosos. Assim que possível, é sempre importante buscar acompanhamento de um profissional, seja nos serviços públicos ou na rede privada de saúde. Nesse sentido, o atendimento online ou teleatendimento pode ser uma saída para as pessoas acessarem serviços psicológicos em tempos de isolamento social”, finaliza.

Veja mais dicas para cuidar da saúde mental clicando aqui. 

Jornal Midiamax