Após levar 3 meses para ter 1 mil casos de coronavírus, Campo Grande dobra número em 9 dias

Campo Grande havia chegado a 1.067 casos em 20 de junho e, neste dia 29, superou os 2 mil infectados pelo novo coronavírus

O boletim epidemiológico da SES (Secretaria de Estado de Saúde) sobre o novo coronavírus (Covid-19) apontou que Campo Grande rompeu nesta segunda-feira (29) a marca de 2 mil infectados pela doença, reportando 2.028 casos desde o surgimento dos dois primeiros, em 14 de março. Contudo, mais impressionante que a cifra é o fato de que bastaram apenas 9 dias para a cidade dobrar o número de casos e chegar ao segundo milhar.

O dado apenas reforça que a velocidade de contaminação na cidade está aumentando, indo ao encontro do que autoridades da SES (Secretaria de Estado de Saúde) indicavam quanto a evolução da doença. Domingo (28), o titular da pasta, Geraldo Resende, chegou a prever que os próximos 14 dias registrarão avanço ainda maior no total de infectados.

Apesar de melhora dos índices de isolamento social no domingo, o que foi creditado à queda nas temperaturas, Campo Grande vem figurando entre as três capitais de pior recolhimento domiciliar para enfrentamento à pandemia –estratégia mais defendida no momento devido à falta de um tratamento comprovadamente eficaz ou de vacina contra a Covid-19, já que, ao ficar em casa, a pessoa deixa de se expor ao vírus ou de o passar adiante.

Os primeiros casos de coronavírus reportados em Mato Grosso do Sul foram registrados na Capital, em 14 de março. Até maio, a cidade figurou como maior foco de infecção pela Covid-19 no Estado, quando foi superada por Dourados, em um cenário de poucas dezenas de casos por dia. Agora, no fim de junho, volta a liderar em infecções.

Campo Grande levou 41 dias para chegar aos primeiros 100 casos de coronavírus

Campo Grande havia chegado a 1.067 casos em 20 de junho e, neste dia 29, superou os 2 mil infectados pelo novo coronavírus.
Capital atingiu 108 casos em abril e viu velocidade de contágio acelerar em junho. (Imagem: Reportagem)

A velocidade de infecção pode ser comprovada observando datas nas quais a cidade dobrou o número de novos casos de Covid-19. Em 24 de abril, Campo Grande rompeu a marca de 100 infectados, registrando 108 –mais da metade dos 213 de todo o Estado, que tinha 7 óbitos pela doença (dois na Capital). Ou seja, foram 41 dias para atingir a “marca simbólica”.

Em 21 de maio, Campo Grande totalizava 222 infectados, ou seja, 27 dias depois da primeira centena de casos. No dia anterior, eram 194 pessoas que contraíram a Covid. No Estado, já eram 746 casos (mais que o triplo), impulsionado pelo avanço do coronavírus pelo interior –Dourados, nesse mesmo intervalo de tempo, saiu de apenas 11 casos para 84, quase 7 vezes mais.

A nova dobra de casos aconteceu já no mês de junho, quando a Covid-19 acelerou em Mato Grosso do Sul. Em 9 de junho, Campo Grande totalizou 422 casos positivos da doença (19 dias depois). O número disparou para 560 no dia 11, graças ao aumento das testagens que, somente naquele dia, acrescentou mais 129 infectados.

No mesmo 9 de junho, Mato Grosso do Sul totalizou 2.455 casos positivos de Covid-19 (novamente, o triplo da contagem em 21 de maio), com 22 mortes –8 delas em Campo Grande. Dourados somava 674 casos e já havia se convertido no principal epicentro da doença no Estado.

Em 9 dias de junho, Campo Grande somou mais de mil novos casos

Campo Grande havia chegado a 1.067 casos em 20 de junho e, neste dia 29, superou os 2 mil infectados pelo novo coronavírus.
Evolução da Covid-19 nas segundas-feiras em Campo Grande: aumentos de até 80%. (Imagem: Reportagem)

A marca de mil casos positivos de coronavírus em Campo Grande se deu em 20 de junho, com 1.067 casos positivos –quase o dobro dos 560 registrados 9 dias antes.

A partir daí, a cidade viveu uma escalada de casos que oscilou entre 70, no dia 22, a 192, no último sábado (27). E, nesta segunda-feira, em meio aos 7.676 casos em todo o Mato Grosso do Sul, Campo Grande totalizou 2.028 casos, novamente bastando 9 dias para dobrar o volume de infectados.

Comparando-se apenas as segundas-feiras de junho, já é possível constatar como as infecções por coronavírus evoluíram em Campo Grande. Em 1º de junho, a cidade totalizava 312 casos positivos desde o início da pandemia. No dia 8, já eram 398 infectados, uma alta de 27,5%.

Já no início da terceira semana do mês, em 15 de junho, o total de casos disparou para 720, um avanço de 80%. E, no dia 22, o volume de infectados já somara 1.212, aumento de 68% em relação à segunda-feira anterior.

A marca de 2.028 casos desta segunda-feira, por sua vez, representa um aumento de 67,3% nos casos reportados de Covid-19 em um intervalo de uma semana.

Após levar 3 meses para ter 1 mil casos de coronavírus, Campo Grande dobra número em 9 dias
Mais notícias