Após flagra até de coliforme fecal, Detran-MS vai usar água da rede pública

Órgão de trânsito chegou a ser enquadrado pela Sesau “transgressões às normas sanitárias”.

Após denúncias de servidores e da comprovação de que a água fornecida no Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito) estava imprópria ao consumo, o órgão anunciou nesta sexta-feira (21) que passará a utilizar a rede pública de abastecimento de Campo Grande.

As primeiras denúncias surgiram em janeiro, quando servidores começaram a relatar mal-estar após o consumo da água. Na sequência, o Sindetran (Sindicato dos Servidores do Detran-MS) notificou o órgão e também contratou empresa para atestar a qualidade da água fornecida. Dias depois, o resultado comprovou que a água era imprópria ao consumo, devido existência de coliformes fecais.

Na última quinta-feira (20), o Jornal Midiamax publicou que antes mesmo do fornecimento do laudo ao Sindetran, a CVA (Coordenadoria de Vigilância Ambiental) da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) já havia notificado e exigido do Detran-MS a regularização do poço, sendo estabelecido prazo de 30 dias, em dezembro de 2019.

No entanto, no vencimento deste prazo, em 23 de janeiro de 2020, a Sesau teria retornado à sede e constatado que nenhuma providência havia sido tomada. Assim, o Detran-MS foi autuado por “transgressões às normas sanitárias”.

Trecho de laudo da Sesau sobre apuração de água contaminada (Foto: Reprodução)

Naquele dia, três amostras de água foram coletadas pelos fiscais: uma do ponto de captação do poço, outra da torneira e uma terceira no bebedouro. De acordo com documentos aos quais o Jornal Midiamax teve acesso, os testes foram feitos no Labcen (Laboratório Central) de Campo Grande e, em todas as três amostras, foram encontrados coliformes fecais.

Diante disso, no fim de janeiro, a Sesau notificou novamente o Detran-MS e solicitou comprovação de limpeza do reservatório de água e também que contrato com empresa responsável pelo tratamento de água fosse apresentado.

Nesta sexta, o órgão divulgou que iniciou a tomada de providências em dezembro. Porém, além da autuação pela Sesau, servidores também não teriam sido alertados acerca das condições da água em nenhuma ocasião, o que resultou, em janeiro, na continuidade dos relatos de intoxicação, de acordo com o sindicato.

O Jornal Midiamax acionou o Detran-MS por posicionamentos em todas as reportagens apuradas, porém, em nenhuma delas houve resposta.

Água de poço

Segundo o Detran, a sede do órgão, que fica na saída para Rochedo, utiliza água de poço desde sua construção, em 1989, o qual “nunca teve tratamento contínuo como forma de garantir a sua potabilidade”.

Nova rede de ligação da Águas Guariroba na sede do Detran-MS | Foto: Divulgação | Detran-MS

Após o enquadramento por parte da Sesau, o órgão acionou a concessionária Águas Guariroba para solicitar a viabilidade de extensão da rede e implantação da ligação de água no local. A Sanesul (Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul) também foi acionada para a implantação de um sistema de tratamento da água captada no poço existente.

Segundo a comunicação do órgão, os serviços solicitados Á Águas Guariroba foram concluídos há dez dias, faltando apenas a interligação ao reservatório existente. A Sanesul também teria instalado sistema de tratamento no poço e capacitado um técnico para controle diário do residual de cloro em vários pontos do órgão.

Mais notícias