Após barraco ser destruído no Linhão, moradores acreditam em incêndio criminoso

Mais cedo ao incêndio, um casal estava iniciando uma mudança e havia deixado para trás documentos, móveis e roupas

O Corpo de Bombeiros foi chamado para conter incêndio que tomava conta de barraco na favela do Linhão, no Bairro Noroeste, em Campo Grande, na noite desta terça-feira (4). Após o ocorrido, os moradores vizinhos acreditam que o incêndio pode ter tido motivação criminosa.

Uma vizinha, Carmen da Silva, de 57 anos, é ex-líder comunitária e explicou à reportagem do Midiamax que quem morava no barraco consumido pelo incêndio era um casal. Os dois haviam sido contemplados com um terreno pela Emha (Agência Municipal de Habitação) e no mesmo dia estavam desocupando o barraco na para se mudar.

De acordo com Carmen, o casal começou a levar os poucos bens para o terreno, próximo ao Presídio de Segurança Máxima e também próximo ao Linhão, por volta das 16h. Quando eram 21h, o incêndio começou.

“Acredito que o incêndio foi criminoso, pois o barraco já estava sem energia elétrica e sem botijão de gás. Eles [o casal], não tinha terminado de mudar, perderam documentos, móveis, cama e roupa”, disse a moradora.

Ainda segundo Carmen, outras famílias estavam se mudando de a após a agência de habitação ter fornecido um terreno legal. E pela manhã, haviam tijolos organizados perto da casa, que poderia indicar que o fogo foi feito ali antes de ser ateado no barraco.

“Ficamos tristes, aqui para a sociedade eles são descriminados. Não é justo eles passarem por essa humilhação”, afirmou. O casal vive de doação e são catadores de materiais recicláveis.

Uma outra moradora, que preferiu não se identificar, disse que estava dormindo quando ouviu o telhado da casa estralando. “Os vizinhos chamaram os bombeiros, mas o fogo se alastrou muito rápido”, disse. A mulher também pontuou que o incêndio pode ter sido provocado.

Após barraco ser destruído no Linhão, moradores acreditam em incêndio criminoso
Mais notícias