Apesar de reclamações, embarque segue na frente dos ônibus para controlar lotação, explica Agetran

Medida é necessária para controlar 50% de passageiros em pé nos ônibus

Com a volta do passe do estudante, a permissão de 50% de passageiros em pé nos ônibus e os veículos circulando até 1 hora da madrugada, a situação parece estar voltando à normalidade no transporte coletivo de Campo Grande. Porém, passageiros continuam reclamando que têm que pagar mais passes, já que precisam passar pela catraca toda vez que entram em um ônibus no terminal. A situação não deve mudar tão cedo, já que a entrada pela porta da frente é necessária para controlar o número de passageiros nos veículos. 

Mesmo com a integração com prazo estendido de até 2 horas, usuários enfrentam problemas e pagam caro pelas novas regras na pandemia. “Estamos pagando passagem duas vezes mesmo pegando ônibus no terminal? A passagem já está super cara, peguei o ônibus no centro e desci no Guaicurus, tive que pagar novamente. Minha passagem de ônibus do centro para o bairro saiu a R$ 8,20”, reclamou um usuário nas redes sociais. 

Uma leitora do Midiamax também entrou em contato para reclamar da situação. Ela conta que os passageiros têm que entrar na porta da frente do ônibus, assim os passes, que antes duravam um mês, agora duram somente 15 dias. “O cartão só faz uma integração, se eu for pegar mais de um ônibus, já pago outra passagem. Antes não era assim, você ia de terminal em terminal, usando a porta de trás sem sofrer no bolso. Agora, vem a pandemia e querem se aproveitar”, denuncia.

Marilene da Silva, de 57 anos, trabalha como babá em um condomínio na saída de Campo Grande, na . Ela afirma que além de demorar mais de 3 horas para chegar no trabalho e voltar para a casa, tem que pagar dois passes a mais todos os dias. “Como a integração não é mais de 1 hora e tenho que pagar dois passes para ir e dois para voltar. Não tem mais a linha 075 que era um ônibus expresso. Antes, com ele, eram duas horas de viagem, agora chega a ser de 3h30”, afirmou.

O Consórcio Guaicurus ressaltou que os usuários devem se atentar ao tipo de cartão utilizado. O cartão unitário não dá direito à integração. Quanto aos usuários que precisam passar pela catraca quando vão ao terminal, a (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) informa que a entrada pela porta da frente é necessária para o controle do número de usuários dentro do ônibus durante a pandemia. 

O diretor-presidente Janine de Lima Bruno explica que como a permissão é de 50% de passageiros em pé, o controle dos usuários precisa ser feito, seja pelo motorista, pelos fiscais da ou do Consórcio. “Enquanto não for permitido 100% de passageiros em pé, a entrada continua pela porta da frente. Se não for assim, todo mundo entra de uma vez pelas portas laterais, não dá para ter o controle”.

Fala Povo – o do Jornal Midiamax

As informações foram enviadas ao Fala Povo, o do Jornal Midiamax, no número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.

Apesar de reclamações, embarque segue na frente dos ônibus para controlar lotação, explica Agetran
Mais notícias