Adeptos mantém exercícios ao ar livre, mas mudam horário e trajeto para evitar coronavírus

Campo-grandenses ressaltam que tomam cuidados para evitar contágio

Quem é adepto da prática de esportes, tem dado um jeito de manter o corpo em movimento mesmo durante a quarentena. Com os parques fechados em Campo Grande, os campo-grandenses caminham ou praticam corrida nos arredores, mas ressaltam que tomam todos os cuidados para evitar o contágio do coronavírus. 

Adeptos mantém exercícios ao ar livre, mas mudam horário e trajeto para evitar coronavírus
Irene faz trajeto de três quilômetros todos os dias. (Foto: Leonardo de França)

Muitos idosos têm mantido a rotina de caminhada até por uma questão de saúde. A agropecuária Irene Ferreira, de 65 anos, caminha três quilômetros todos os dias. Para ela, o exercício é uma necessidade e conta que começou a caminhar por conta de um problema cardíaco. “Tomo todos os cuidados essenciais. É bom continuar caminhando porque oxigena o cérebro, alivia a tensão e a angústia”, justifica. 

O aposentado Rui Costa, de 70 anos, pratica caminhada três vezes por semana e percorre 10 quilômetros. Ele conta que sempre foi adepto da atividade física. “O que falta é bom senso, vejo muita gente tomando tereré na rua, aí não adianta nada”, diz. 

Adeptos mantém exercícios ao ar livre, mas mudam horário e trajeto para evitar coronavírus
Rui conta que sempre praticou esportes. (Foto: Leonardo de França)

Para evitar o contato com outras pessoas, Rui mudou a rota e o horário. Em casa, mantém hábitos rígidos de higiene e conta que limpa a casa todos os dias com água sanitária. 

O militar Elizandro Macedo, de 36 anos, corre seis quilômetros quatro vezes por semana. A rotina de exercícios também mudou por causa do coronavírus. Antes, ele corria em grupo, mas agora tem que fazer a atividade sozinho e logo cedo. “Estou acostumado a fazer esporte e acho que trabalha o pulmão”, afirma. 

Adeptos mantém exercícios ao ar livre, mas mudam horário e trajeto para evitar coronavírus
Franciele mudou horário para evitar aglomerações. (Foto: Leonardo de França)

A bioquímica Franciele Machado, de 36 anos, afirma que aprendeu a fazer exercícios aeróbicos em casa, como uma forma de sair menos para se exercitar. Algumas vezes por semana, ela ainda mantém a corrida nas ruas, mas afirma que mudou o horário para evitar contato com outras pessoas. 

Adeptos mantém exercícios ao ar livre, mas mudam horário e trajeto para evitar coronavírus