Acordo permite retomada da construção civil em MS em meio à pandemia de coronavírus

Semagro e sindicato das empresas do setor fixaram normas para que canteiros de obras voltem a operar

A Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Famliar) validou nesta quinta-feira (26) os protocolos que serão adotados para permitir a retomada da construção civil em Mato Grosso do Sul. É o quinto setor que conseguiu pactuar junto ao Governo do Estado critérios para funcionamento em meio à pandemia de coronavírus (Covid-19).

Foi o quinto setor da economia estadual a estabelecer protocolos de retomada das atividades –produção de suínos, de aves, de bovinos e o de celulose já tinham fixado suas regras. A medida foi adotada após pronunciamento em rede nacional do presidente Jair Bolsonaro, que cobrou o fim dos locautes (fechamento) das atividades econômicas e abertura das escolas, que vinham sendo rejeitadas por governos e prefeituras.

O Sinduscon-MS (Sindicato Intermunicipal da Indústria da Construção do Estado), por meio de seu presidente, Amarildo Miranda de Melo, participou da decisão ao lado do titular da Semagro, Jaime Verruck.

A decisão foi pela adoção da cartilha da Cbic (Câmara Brasileira das Indústrias de Construção), que trata de como deve ser o trabalho nos canteiros de obras –incluindo restrições como dispensa de funcionários com mais de 60 anos das atividades presenciais, higienização, uso de EPIs (equipamentos de proteção individual) e manutenção de distância entre os profissionais, além de outras que podem ser conferidas neste link.

“Temos o entendimento de que não há motivos para manter a paralisação das atividades da construção civil. Estamos em diálogo com os prefeitos para que avaliem seus decretos em relação às atividades que tratam do fluxo de pessoas e de produtos. Estamos tentando manter ativa a cadeia de suprimentos e atividades. Os impactos na renda das pessoas e o desemprego, começam a aparecer”, disse Verruck.

A ação foi atribuída ao Comitê de Gestão para Monitoramento das Ações da Semagro, criado para lidar com a crise gerada pelo coronavírus. O órgão avalia que também intermedeia ações de socorro aos empreendedores individuais, micro, pequenos e médios empresários e medidas tributárias de emergência.

Nesta quinta-feira, Mato Grosso do Sul totalizou 25 casos confirmados de coronavírus –o último paciente é um bebê de apenas 3 meses. O Estado ainda não registrou mortes pela doença, ao contrário do país, que hoje contabilizou 77 óbitos (20 a mais ao total de ontem) e 2.915 casos confirmados.

Mais notícias