Valdir Gomes diz que recebe denúncias todos os dias contra Consórcio e cobra firmeza

Vereador acredita que problemas no transporte são influenciados por 'monopólio' de Consórcio Guaicurus

O vereador Valdir Gomes (PP) avaliou que o serviço prestado pelo Consórcio Guaicurus no transporte coletivo de Campo Grande está “deixando a desejar”. Para ele isso acontece porque a empresa é a única e fazer este tipo de servido na Capital. O parlamentar afirma que a Câmara Municipal recebe denúncias diárias e cobra mais firmeza da Prefeitura da Capital.

“Onde não tem concorrência dá nisso, vira monopólio. Nosso poder na Câmara é limitado quanto a isso, é a Prefeitura quem tem que cobrar do Consórcio, ela tem que ser mais firme”, declarou o parlamentar em entrevista ao Jornal Midiamax.

De acordo com Gomes, diariamente a Casa de Leis recebe denúncias de irregularidades que acontecem no transporte público da Capital. As informações, segundo ele, são encaminhadas para a Prefeitura de Campo Grande, para que ela tome providências.

“Fui conferir como anda o transporte público esses dias. É totalmente desconfortável e as pessoas padecem nesses terminais públicos”, contou o vereador.

Ainda segundo Valdir Gomes, um outro problema apontado pelos usuários do transporte público seria a falta de cobertura nos pontos de ônibus da Capital. “O Consórcio prometeu colocar, mas tem muitos locais que ainda não tem cobertura nenhum, isso tem que ser cobrado deles”.

Reportagem desta quarta-feira do Jornal Midiamax listou alguns dos flagrantes registrados em veículos do transporte público de Campo Grande e que, mesmo assim, nunca os empresários que exploram o serviço foram multados quando descumpriram cláusulas contratuais.

Multa

Apenas este ano, depois de mais de um ano com quase 50 carros com prazo vencido é que a Agereg (Agência de Regulação dos Serviços Públicos) aplicou sansão de R$ 2,7 milhões ao Consórcio por conta dos ônibus vencidos.

Segundo dados da Agereg 48 ônibus em circulação estão vencidos, além de 80 prestes a vencer. No total, estão em circulação em Campo Grande 550 carros.

Porém, após a aplicação da penalidade, a empresa apresentou a Prefeitura de Campo Grande um ofício confirmando a compra de 55 novos carros. Com isso, a penalidade acabou suspensa por 90 dias, por determinação do órgão.

O prazo foi firmado porque seria o que a empresa apresentou inicialmente como o de entrega dos carros. Entretanto, a empresa fabricante não poderá cumprir este cronograma e os ônibus só devem chegar na Capital em outubro. Com isso, a Agereg afirmou que depois dos 90 dias pretende reavaliar a multa após o prazo dado ao Consórcio se esgotar.

Mais notícias