Trabalhadores sem-terra promovem protesto em frente ao Incra, em Campo Grande

Movimento denuncia paralisação de políticas de reforma agrária e exige audiência com superintendente regional

Integrantes do FNL (Frente Nacional de Luta) realizam, na manhã desta segunda-feira (15), mobilização em frente ao Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) contra a paralização das políticas de reforma agrária no governo federal.

De acordo com Jonas Carlos da Conceição, um dos representantes do FNL no Estado, a manifestação ocorre simultaneamente em 11 Estados, e em Campo Grande conta com representantes de mais de 50 localidades. Eles pretendem ocupar o espaço indefinidamente caso não sejam recebidos pela entidade.

“Estamos aqui para reivindicar que alguma coisa seja feita, porque até o momento esse governo não executou nenhum programa. Está tudo absolutamente parado, então o que nós exigimos é uma reunião com o superintendente estadual do Incra. Queremos ser recebidos para saber o que está sendo feito”, aponta o representante.

A mobilização deve durar o dia todo e a organização espera cerca de 500 pessoas ao longo do dia. A FNL é composta por movimentos sociais, dentre eles, trabalhadores sem terra, assentados e demais povos do campo. A mobilização também tem como pauta protestar contra a proposta de Reforma da Previdência apresentada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Mais notícias