Sonho da rotatória: área é tomada por matagal e moradores reclamam

Morador reclama em órgãos públicos, mas solicitações são 'ignoradas'

Moradores da Avenida Amaro de Castro Lima, no bairro Nova Campo Grande, reclamam de uma área da prefeitura, que na planta original, consta como rotatória, mas na verdade é um grande terreno abandonado.

Cláudio Roberto, de 56 anos, afirma que, dos 10 anos que mora no local, 4 são de reclamações e solicitações ignoradas. “Essa rotatória está prevista no loteamento, mas o que temos é uma grande área descampada e suja. Eles não limpam a área pública, fiz pedidos pessoalmente e por telefone, porém, muitos constam como atendidos, resolvidos e nunca ninguém fez nada”, diz.

Roberto reclama do jogo de empurra que acabou sendo vítima enquanto tentava uma solução para o problema. O morador afirma ter acionado os órgão públicos através do telefone 156, mas sempre era orientado a ligar para a Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos). “Eu ligava nesse 156 e eles mandavam ligar para a Sisep, eu ligava lá e me orientavam acionar o Município novamente, até que em um

“Consta na planta original, que há uma rotatória na área, mas o que temos é um terreno sujo”, afirma morador (Foto: Leitor)

momento minhas ligações começaram a ser ignoradas”, afirma.

Com o tempo a área passou a servir de lixão e esconderijo para usuários de drogas e objetos roubados. “A gente tem animal morto jogado ali, pessoas usando drogas ou escondendo objetos roubados, gente colocando fogo no mato, inclusive, eu pago uma pessoa para limpar a área próxima aos fundos da minha casa, ou seja, eu pago para que limpem uma área pública, isso não está correto.”

Ainda de acordo com o morador, há equipes no local realizando obras. Roberto conversou com os funcionários e pediu para que aproveitassem o maquinário que estava lá e retirassem o lixo do terreno, mas a empresa terceirizada recusou o pedido.

“Eu conversei com a equipe que está trabalhando e o que precisamos aqui é de uma pá carregadeira e um caminhão, elas estão aqui e ficam ociosas boa parte do tempo. Vem agente de saúde cobrar limpeza na minha casa, sendo que nos fundos tem um terreno público abandonado com mais de 1 metro de altura”, reclamou.

Por nota, a assessoria de imprensa da Prefeitura informou que a reclamação será encaminhada à divisão de limpeza pública da Sisep, para providências.

Mais notícias