Satélites localizam desmatamento e fazendeiro é multado na Operação Semana Santa

Autor também responde por crime ambiental e pode pegar pena de até seis meses de detenção

Com ajuda de imagens de satélites, a PMA (Polícia Militar Ambiental) realizou vistoria em uma fazenda de Nioaque, a 187 km da Capital, e localizou uma área de 3,7 hectares de desmatamento ilegal. A vistoria foi feita durante a Operação Semana Santa e o infrator deve pagar multa de R$ 1,1 mil.

O fazendeiro, de 45 anos, desmatou o trecho há algum tempo e não tinha autorização ambiental. No lugar da floresta desmatada havia pastagem e criação de gado, alguns troncos de madeira ainda estavam no local. Ele foi autuado e recebeu multa administrativa total de R$ 1.120.

O autuado também responderá por crime ambiental, que prevê pena de três a seis meses de detenção. Além disso, ele foi notificado a apresentar um Prada (Plano de Recuperação da Área Degradada e Alterada) junto ao órgão ambiental estadual.

A vistoria faz parte da operação Cervo-do-Pantanal. Nesta operação, a PMA recebeu 634 vistorias de possíveis desmatamentos ilegais levantados por imagem de satélites na bacia do rio Paraguai e Paraná pelo Núcleo de Geoprocessamento do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul). Em 2018 foram 109 proprietários rurais autuados na operação, sendo verificado um total de 2.665,46 hectares de desmatamentos ilegais em 23 municípios. Foram aplicadas multas que somaram R$ 3 milhões.

Mais notícias