Reformas em terminais são adiadas mais uma vez e ficam para janeiro de 2020

O prazo para terminar as reformas é de 12 meses

O início das reformas dos terminais Júlio de Castilho, Bandeirantes e Guaicurus sofreu um pequeno atraso por conta de problemas burocráticos envolvendo uma das empresas que participaram do certame licitatório, segundo o diretor-presidente da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Janine de Lima Bruno.

“Houve recurso administrativo e acabamos passando por essa fase, mas o município passou o processo para gente essa semana e vamos assinar o contrato. A empresa deve ver a parte da logística para iniciar a obra que deve ser em dezembro ou começo de janeiro”.

A reforma dos primeiros três terminais custará algo em torno de R$ 2,3 milhões aos cofres públicos. Segundo a Prefeitura de Campo Grande quando lançou a licitação, a quantia estava dividida em R$ 867 mil para o Terminal Bandeirantes, R$ 590 mil no Guaicurus e R$ 782 mil para o Júlio de Castilho.

Janine explicou o atraso das obras nos terminais. (Foto: Leonardo de França, Midiamax)

O projeto contempla banheiros, troca de bebedouros, bancos, revisão das instalações elétricas, hidráulicas, projeto e segurança contra incêndio e pânico, reparos na cobertura, piso rígido do pátio, pintura geral, troca dos bancos, sala para descanso dos funcionários.

O prazo para terminar as reformas é de 12 meses, mas tudo será levado em conta por conta do funcionamento do terminal. “Você vai ter que trabalhar com o terminal funcionando, não vai conseguir dar a velocidade que você quer, porque o ônibus tem que estar ali junto”, comentou Janine.

Novas reformas

Em abril do ano que vem, a Prefeitura de Campo Grande deverá lançar uma nova licitação para dar andamento a reforma dos terminais restantes: General Osório, Morenão, Aero Rancho, Nova Bahia.

Mais notícias