Quais os carros preferidos em MS? Confira os campeões de emplacamento em 2019

Hyundai HB20 Comfort foi o modelo mais emplacado nos últimos 3 anos

Circulando pelas ruas de Mato Grosso do Sul há mais de 1,6 milhão de veículos. Desse total, qual será o carro mais vendido nas concessionárias ? E a moto? Confira o ranking divulgado pelo Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul).

Nos últimos 3 anos, o Hyundai HB20 Comfort foi o modelo mais emplacado no Estado, com 2.163 registros; em 2° lugar ficou o Chevrolet Onix Joy, com 2.045 emplacamentos. O 3° lugar ocupado pelo Toyota Corolla XEI (1.846) surpreendeu muita gente, por se tratar de um carro de luxo; em 4° ficou a versão LT do Chevrolet Onix (1.567) e em 5°, o modelo Unique do Hyundai HB20 (1.307).

No ranking de motos, a Honda CG 160 FAN lidera a lista com 6.381 emplacadas; seguida da Yamaha YBR 150 Factor ED (2.753), Honda NXR 160 Bros ESDD (2.528), Honda CG 160 Start (2.313) e Honda CG 160 Titan (1.695). Por outro lado, apesar do número expressivo, a Honda CG 160 FAN não é o veículo de duas rodas mais vendido. A motoneta (veículo pilotado em posição sentada) Honda BIZ 125 vendeu nos últimos 3 anos, 6.629 unidades.

Ainda na categoria motoneta, em 2° lugar na lista ficou a versão 110i da Honda BIZ (3.955), seguida da Yamaha NEO 125 (987), Honda Elite 125 (235) e Honda PCX 150 (193).

Aumento da frota

Nos últimos três anos a frota de veículos em Mato Grosso do Sul aumentou 8%. Os dados são do Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul).

Conforme o órgão, em 2017 o Estado contava com mais de 1,4 milhão veículos. Até novembro deste ano o número já ultrapassou a marca de 1,6 milhão e pode crescer ainda mais. De acordo com o diretor de veículos do Detran-MS, Agrícola Pedroso, dezembro é também o mês de maior movimentação com a emissão de CRV’s (Certificado de Registro de Veículos), o que indica grande movimentação de compras de veículos zero quilômetro.

“Esse dado só demonstra que nosso Estado está crescendo economicamente, o que é muito positivo, já que aumenta também a arrecadação e deixa claro que o poder aquisitivo do sul-mato-grossense tem aumentado”, disse. Ainda segundo Pedroso, o índice também representa a necessidade em continuar o trabalho de educação para o trânsito, que já vem sendo desenvolvido de forma permanente.

Mais notícias