Presos foram medicados e isolados após suspeita de meningite em presídio de MS

Interno morreu com sintomas da doença, mas laudo oficial ainda não saiu

Após a morte de um preso na quarta-feira (18) por suspeita de meningite, em Dourados, a 223 quilômetros de Campo Grande. Os internos da PED (Penitenciária Estadual de Dourados) que tiveram contato com a vítima foram isolados e receberam medicação preventiva.

De acordo com a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), o laudo oficial sobre a causa da morte não foi recebido pela direção da unidade prisional, mas assim que foi informada sobre a possível causa ser meningite acionou a Vigilância Epidemiológica do Município que realizou o procedimento padrão.

A agência ressalta que conforme protocolo da Vigilância Epidemiológica, não foi determinado uso de máscara e todos os procedimentos necessários foram adotados na PED, e que o interno que faleceu estava há menos de um mês na penitenciária.

A morte

Jorge Luís Bezerra, 19 anos, teria passado mal no setor de triagem do presidio e foi recusado no Hospital da Vida e veio a falecer em uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento).  Ele estava há menos de um mês na PED depois de ser preso por tráfico de drogas.

Por volta das 13h da quarta-feira, foi levado para a triagem da unidade de saúde dentro do presídio e como apresentava sintomas de meningite foi escoltado até o hospital que o rejeitou, pode determinação de uma portaria assinada pela secretária municipal de Saúde. Sendo então levado para UPA onde morreu  horas depois.

Mais notícias