Prefeitura promete estudo técnico para duplicação da “Rua da Morte” em Dourados

Medida anunciada nesta terça-feira vem de encontro com a licitação prometida pela Agesul para este mês

Alvo de protestos nas últimas semanas por populares que cobram mais segurança, a Rua Coronel Ponciano em Dourados começa a receber estudos para o projeto técnico que deve indicar a duplicação da via que nos últimos meses registrou grande número de acidentes com mortes.

Na manhã desta terça-feira (8), a prefeitura de Dourados, Délia Razuk disse que os estudos já iniciaram e promete a conclusão em 60 dias. Além da duplicação, o projeto técnico prevê a readequação e revitalização total da Coronel Ponciano no trecho entre a Avenida Marcelino Pires e o chamado trevo do DOF (Departamento de Operações de Fronteira).

Uma reunião nesta terça-feira com o diretor do Departamento de Obras, Jorge Hamilton Torraca e a secretária municipal de Obras Marize Bianchi definiu as metas do documento que será encaminhado ao Governo do Estado, responsável pela execução da obra a exemplo do que está sendo feita na duplicação da Rua Hayel Bom Faker.

No final de setembro, o Jornal Midiamax divulgou que a Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) iria abrir uma licitação ainda em outubro para estudo das obras nesta via. O objetivo é duplicar a rua e trazer mais segurança. O recurso indicado seria 100% da Fundersul (Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário do Estado de Mato Grosso do Sul). O início da duplicação deve acontecer somente em 2020.

Na mesma semana, o Conselho de leigos/leigas da Diocese de Dourados promoveu o movimento “Todos pela Coronel Ponciano” com distribuição de panfletos aos motoristas e tentando chamar atenção das autoridades para providências na via de importante acesso a vários bairros e localidades como a prefeitura, UPA e estádio Douradão.

Na semana passada, moradores de bairros localizados ao sul do município fecharam a rodovia MS-156 no trevo do DOF que liga a rodovia BR-163 e a entrada da Coronel Ponciano pedindo mais segurança após a sequência de atropelamentos e mortes naquela região.

As lideranças do protesto conseguiram se reunir com o vice-governador Murilo Zauith no dia seguinte e o governo se comprometeu a realizar uma série de medidas de segurança nos trechos com alta índice de acidentes e mortes.

Mais notícias