Precário: rachaduras revoltam pais e escola decide trocar alunos de sala

A direção chegou a informar a prefeitura sobre a situação, mas até o momento nenhuma providência foi tomada

A parede de uma sala de aula da Escola Municipal Ada Moreira Barros, situada no distrito de Cipolândia em Aquidauana – localizada a 143 km de Campo Grande, assustou os pais dos alunos do pré-escolar. Pela foto, é notável o tamanho das rachaduras que chegam a dar uma leve visão ao lado de fora do ambiente. Os pais das crianças chegaram a informar a escola que não levariam mais os filhos pela situação precária que se encontra o espaço. Em contrapartida, para não atrapalhar o andamento letivo, a diretoria resolveu realocar os alunos.

O diretor do colégio, Wilson Luís dos Santos, informou que há mais de cinco meses as rachaduras apareceram e que chegou a entrar em contato com a prefeitura da cidade para que providências fossem tomadas. “Na época alegaram que iriam fazer a reforma, mas até agora não deu certo”.

Depois de uma reunião que aconteceu na quarta-feira (28), onde os pais, com medo da situação, avisaram a diretoria que não iriam mais levar os filhos pequenos à escola, o diretor decidiu tomar providências.

“Não podemos parar o ensino. Informei a secretaria de educação do município sobre as rachaduras e encaminhei as fotos. A decisão que tomamos é anular a sala até que uma reforma seja feita. A partir de segunda-feira (02/09) os alunos já iniciam em uma nova sala”, afirmou o diretor.

E essa sala não é única parte que precisa de melhorias. Ainda segundo o diretor, a escola está precisando de uma reforma geral. Outra situação que está complicada é o calor, o colégio ganhou 13 ares condicionados, porém ainda não foram instalados.

“A gente tenta mudanças, mas nem sempre é de imediato. Se eu tivesse condição já teria mandado arrumar isso aqui, mas não temos recurso, dependemos da prefeitura”, finaliza o diretor.

Falta recurso

A assessoria da prefeitura de Aquidauana informou que o município possui aproximadamente 26 unidades escolares e boa parte delas têm mais de 40 anos de construção. “O estado é realmente crítico em várias delas, o prefeito e toda a equipe tem conhecimento, já mapeou e parece que são 11 unidades que estão em situação bem delicada”, disse a assessoria.

Ainda segundo informações, o município não dispõe de recursos próprios para arrumar todas essas escolas. “Aquidauana é uma cidade pequena e tem recurso apenas para se manter e fazer o básico. O prefeito tem buscado emendas parlamentares e ajuda de fora para suprir as demandas. Vamos conversar com o secretário de planejamento para ver se a escola Ada Moreira Barros está inclusa nesses colégios que serão reformados caso consigamos êxito em adquirir um recurso”, conclui.

Mais notícias