Por reajuste de salário, motoristas de ônibus mobilizam passeata para o sábado

Categoria aguarda permissão da Agetran para realizar protesto

Motoristas do transporte coletivo urbano da Capital aguardam permissão da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) para realizar uma passeata no próximo sábado (7). Entre os objetivos da categoria está o reajuste salarial de 13% e aumento no valor do ticket alimentação.

“Estamos aguardando uma resposta da Agetran, que deve sair na manhã de quarta-feira (4). Cansamos de reuniões secretas entre o sindicato e o Consórcio Guaicurus. Nós queremos participar das decisões, pois afetam diretamente nosso trabalho”, afirmou o motorista da Viação Campo Grande, Thiago da Silva.

Os motoristas criaram o grupo ‘Motoristas Unidos’ no Whatsapp e, conforme Thiago, objetivo é espalhar a notícia entre os profissionais e reunir mais trabalhadores na passeata.

“Queremos R$ 400 de ticket de alimentação; plano de saúde de qualidade às famílias; participação nos lucros mantida; direito de concorrer à chapa para o sindicato sem sofrer represália e manter o nosso vale gás”, reclama.

Reunião frustrada

Após reunião frustrada no Sest Senat na manhã desta segunda-feira (2) entre motoristas de ônibus, STTCU (Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Coletivo Urbano de Campo Grande) e o Consórcio Guaicurus, os motoristas foram até o sindicato. Houve protesto, manifestação, tentativa do sindicato de retirar a imprensa do local e ameaça de paralisação.

Ao notarem a presença da equipe de reportagem do Jornal Midiamax, membros do sindicato teriam se alterado, gritando e pedindo que saísse. O grupo de motoristas que foi até o local argumentou e exigiu que a jornalista permanecesse no local. Como a reunião foi cancelada nesta manhã sem aviso, eles afirmam que foram ao sindicato atrás das respostas.

O presidente do sindicato, Demétrio Ferreira de Freitas, afirmou que a negociação ainda não foi encerrada. “Não concordamos com a saída da participação dos lucros. Era para ter reunião hoje, mas o consórcio [Guaicurus] cancelou por causa da entrega dos ônibus”, afirmou, dizendo ainda não haver motivo para tal manifestação dos motoristas.

 

Mais notícias