Publicidade

Pesquisa do Procon-MS encontra variação de até 53.82% no valor de tarifas bancárias

Levantamento ocorreu de 30 de janeiro a 8 de fevereiro

Pesquisa realizada pelo Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor) constatou diferença de até 53,62% em algumas modalidades de serviços bancários. O levantamento, que ocorreu entre 30 de janeiro e 8 de fevereiro, contemplou sete instituições bancárias do Estado.

Segundo a superintendência, foram visitadas as seguintes instituições: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Santander, Itaú, Sicredi Campo Grande e Sicredi União.

Conforme os pacotes apresentados pelas agências, os serviços bancários são padronizados em quatro modalidades, além do pacote universitário. A partir dos dados, que cotou cinco itens por unidade visitada, entre os quais estão a confecção de cadastro, fornecimento de folhas de cheque, saques, extrato bancários e transferências. Neles, a pesquisa constatou diferença considerável.

A maior delas foi encontrada no pacote padronizado III, no qual há variação de 53,62% no preço da tarifa. A diferença é observada em comparação ao serviço executado pelo Banco do Brasil, ao custo de R$ 33,95, e no Sicredi – ao custo de R$ 22,10.

Acerca da modalidade I, as instituições dão direito ao titular da conta a movimentar com depósitos à vista, somente com cartão, possibilitando, também, quatro saques dois extratos a cada 30 dias além de duas transferências entre contas na mesma instituição, gratuitamente.

Já, em relação aos demais (II, III e IV) é acrescentado aos benefícios a utilização 10 folhas de cheques. Em relação à conta universitária os benefícios variam de banco para banco. Confira a planilha elaborada pelo Procon-MS clicando AQUI.

O titular do Procon-MS, Marcelo Salomão, lembra que o consumidor tem direito ao acesso de serviços essenciais gratuitos por mês, entre os quais estão, por exemplo, quatro saques, duas transferências de recursos entre contas na própria instituição e dois extratos contendo a movimentação dos últimos trinta dias.

“A realização de consultas mediante utilização da internet é ilimitada”, destaca o superintendente.

Mais notícias