Passeio ciclístico do Dia do Trabalhador diz reunir 3 mil no Parque das Nações

Prefeito Marquinhos Trad participa do evento

Adiado no feriado por causa do temporal, o tradicional passeio ciclístico de Campo Grande concentrou cerca de 3 mil pessoas antes mesmo da largada, na avenida das Bandeiras, na manhã deste domingo (5). Até a chegada, no Parque das Nações indígenas, o evento espera reunir até 7 mil atletas, entre profissionais e amadores.

Entre os participantes, pessoas de todas as idades, que chegaram animados para o sorteio de bicicletas, promovido pela Ciclo Ribeiro. Prefeito Marquinhos Trad (PSD) chegou ao local com a sua e foi o responsável pelo sorteio das primeiras ‘magrelas’, que fizeram a alegria do pessoal. Ao todo, são 40 sorteadas.

“Passeio virou tradição na nossa cidade, sempre comemorado no dia do trabalhador, em razão da natureza foi adiado para hoje, como muitos eventos que deveriam ter sido no dia. Se você tirar uma fotografia aqui, vai ver casais, filhos, netos e até bisnetos”, conta.

Fabrício garantiu a diversão da família (Foto: Minamar Junior)

Participando pela primeira vez e atleta a pouco tempo, Fabrício Varela levou a esposa e dois filhos, de 2 e 14 anos, e falou da importância da prática esportiva para integração da sua família. “Meu filho de 2 anos sempre me acompanha quando ando de bicicleta. Acho que vai trazer benefícios para mim e para ele, é o melhor exercício que tem“, pontua.

Aposentada aos 59 anos, Nair Correa da Luz tem mais energia que muita gente por lá. Ela conta que a energia vem dos 25 anos pedalando, sendo três ao lado de outros amigos, que integram o projeto “Pedal todo Dia”.

Benefício para saúde é garantido, conta Nair (Foto: Minamar Junior)

Nele, participam pessoas com idades entre 45 e 60 anos e, juntos, pedalam 40 km todo dia até o Indubrasil. “[o grupo] começou com 4 e hoje 25 pessoas pedalam. Já perdi 9 quilos só andando de bicicleta”, comemora.

“Não tenho mais estresse, o exercício me relaxa, não tenho mais problemas na coluna nem insônia. Já pedalo há 3 anos no grupo”, conta, chamando atenção para o número insuficiente de ciclovias na cidade. “Nossa cidade é carente, por isso é importante que pedalemos em grupo, já que não tem pistas dedicadas aos ciclistas”, pontua.

Mais notícias