Para derrubar decreto do Cota Zero, 350 pessoas participam de audiência pública

Ideia é que documento só entre em vigor no ano de 2023

Pescadores e empresários se reuniram na última sexta-feira (29), durante a audiência pública sobre o decreto do Cota Zero, em Miranda, a 200 quilômetros de Campo Grande. Na ocasião estiveram 350 pessoas contrárias que pedem a derrubada do documento, a ideia agora é vir para a Capital conseguir apoio na Assembleia.

Desde que a sua publicação, em fevereiro de 2019, o decreto 15.166 vem gerando debate. Segundo o documento, que começa entra em vigor já em 2020, a pesca amadora e/ou desportiva só poderá ser praticada na modalidade “pesque e solte”.

A audiência foi convocada pelo vereador Adimar Albuquerque Acosta, que afirmou que não são contra o decreto, mas sim que este não seria o momento propicio para a decisão.

Segundo o parlamentar, se a data para entrar em vigor fosse daqui quatro anos existiria um período para que a população se preparasse para as novas regras da atividade.

Adimar ainda ressaltou, que neste momento eles querem a derrubada do decreto e que na próxima semana a intenção é vir até a Assembleia Legislativa na Capital para tentar o apoio dos deputados para que consigam o objetivo. “Nós estamos com esse pensamento de derrubar esse decreto agora para que possamos trabalhar em 2019, 2020, 2021, em 2022 até quando a pesca fechar em outubro e no ano de 2023 o decreto entra em vigor”, explicou.

Mais notícias