Publicidade

“Ou faz do jeito que está ou não faz mais nada”, diz Marquinhos sobre Bandeirantes

Prefeito irá a Brasília (DF) conversar com Ministro do Desenvolvimento Gustavo Canuto ver se há possibilidade de modificar o projeto aprovado em 2013

Prefeito falou sobre a obra no CCZ, na manhã deste sábado (20).

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) informou que é remota a possibilidade de alterar o projeto de revitalização da Avenida Bandeirantes, em Campo Grande, retirando a construção do corredor exclusivo de ônibus e as sete estações de pré-embarque, como têm exigido comerciantes da região.

Ele irá a Brasília (DF) na tentativa de explicar a situação ao Ministro do Desenvolvimento, Gustavo Canuto, para ver se há possibilidade de modificar o projeto. Mas, adiantou que os procuradores jurídicos do município já emitiram parecer de que não há como fazer a mudança. Caso não seja possível, o prefeito irá falar novamente com os comerciantes.

“Vamos ter duas alternativas: ou faz do jeito que está e depois a gente tenta reordenar a malha viária ou não faz mais nada na Bandeirantes”, afirmou, durante visita à feira de adoção do CCZ (Centro de Controle de Zoonose), na manhã deste sábado (20).

Marquinhos lembrou que o projeto foi aprovado fora de sua gestão, em 2013. Na época, o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) 2 destinou recurso a projetos de mobilidade urbana pelo Programa Pró-Transportes. Segundo o prefeito, os valores foram disponibilizados justamente para corredores de ônibus em locais de muito tráfego, onde a malha viária estava sendo prejudicada.

O projeto da Bandeirantes foi então inscrito e aprovado junto ao Ministério de Desenvolvimento. “Essa discussão dos comerciantes tinha que ter sido em 2013”, frisou.

Recapeamento

O pedido de comerciantes da Bandeirantes é que seja feito somente o recapeamento da via. Conforme o prefeito, além da impossibilidade de dissociar a obra do projeto aprovado, somente recapear não irá resolver os problemas da via, que deverão aparecer novamente em pouco tempo.

Isso porque a malha viária está sendo prejudicada pelo grande fluxo decorrente do transporte coletivo, que chega a quase 200 mil pessoas por dia, explicou o prefeito. Com a adequação, além do reforço viário a velocidade com os corredores de ônibus será 60% a mais, o que a prefeitura espera que agilize o transporte público.

“Eu vou tentar mudar uma situação que não atrapalhe a cidade não prejudique a população e que não desagrade aos Comerciantes. Eu vou tentar ver uma maneira, se eu não conseguir ou se devolve o dinheiro e não faz mais nada ali, ou pensa na cidade continua com as obras”, enfatizou Marquinhos.

Além do recapeamento, a obra na Bandeirantes inclui drenagem, sinalização (placas, semáforos e faixas), sete estações de pré-embarque e corredor do transporte coletivo. O prazo para término é de um ano. O investimento total é de R$ 8,7 milhões, sendo R$ 6,4 milhões por meio de financiamento do PAC Mobilidade e R$ 2.2 milhões de contrapartida viabilizada por meio da parceria da prefeitura com o Governo do Estado.

Mais notícias