Obras na Bandeirantes terão menor impacto no comércio, promete Trad

Prefeito declarou que busca ouvir empresários da via

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) anunciou nesta terça-feira (16) que as obras de requalificação da Avenida Bandeirantes deverão afetar menos os comércios localizados na via. O imbróglio foi apontado após comerciantes da Rua 14 de Julho, que também passa por revitalização, afirmarem que amargam prejuízos financeiros.

“Pela primeira vez estamos ouvindo antecipadamente o quadrilátero que será afetado pelas obras, de empresas, residências a comércios. Estamos preocupados, mas não podemos atrapalhar o andamento da cidade. São mais de dez mil veículos transitando na Bandeirantes por dia. Tem que atender quem passa por ali diariamente, para não prejudicar a cidade”, destacou Marquinhos.

O titular da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos), Rudi Fioresi, apontou que a obra na bandeirantes é bastante diferente da que é executada na Rua 14 de Julho. “É uma intervenção bem mais leve, somente um lado da via será interditado por vez. o impacto aos comércios será bem menor”, declarou.

O prefeito Marquinhos Trad destacou, ainda, que a intervenção na Bandeirantes foi anunciada há dois anos, tempo que seria, segundo o prefeito, suficiente para que os comerciantes se preparassem.

“Há dois anos disse que faria [a obra], se eles tivessem se acautelado e feito reserva, não estaríamos discutindo isso. Mas, não fizeram, deixaram tudo pra última hora. Estamos reunindo para ver o que eles querem. Vamos atender com uma passarela maior. Mas, parar a obra não dá”, apontou.

Prejuízos

No início do mês, proprietários de empreendimentos na Avenida Bandeirantes pediram à Prefeitura a elaboração de um plano para evitar e amenizar eventuais prejuízos aos lojistas, como ocorreu com a Rua 14 de Julho, devido às obras do Reviva Campo Grande.

De acordo com o presidente da CDL, Adelaido Vila, a entidade já iniciou estudos para reduzir impacto da obra, como o fechamento de lojas e desemprego. Lojistas também propuseram que seja feito um “feirão”, com participação dos comércios, a fim de que as empresas possam criar “gordura financeira” antes da execução da obra na Bandeirantes, justamente para atravessar eventuais momentos difíceis. A CDL também pediu ao prefeito que o cronograma da obra seja apresentado, de forma a permitir o planejamento estratégico dos comerciantes.

Para a CDL, a prefeitura é reincidente na falta de planejamento na execução de obras – a principal queixa de lojistas da Rua 14 de Julho. Segundo a Câmara, as obras da Avenida Júlio de Castilho, executada na gestão de Nelson Trad Filho (então MDB, atual PSD), também causou prejuízo aos comerciantes do local.

Mais notícias