Estudo de obra para acabar com erosão em córrego no Parque do Prosa é interrompido

O projeto foi paralisado para que a Agesul acerte algumas tratativas contratuais

As obras de controle de erosão da cabeceira do Córrego Joaquim Português, no Parque da Prosa, em Campo Grande, foram interrompidas para manutenção contratual da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) com a empresa responsável pelo estudo do local. O projeto também faz parte do cronograma de desassoreamento do Parque das Nações.

A informação de que a obra foi parada foi publicada nesta terça-feira (15) no DOE (Diário Oficial do Estado) na página 25, informando a pausa no contrato com a Schettini Engenharia LTDA pelo prazo de até 120 dias.

Conforme a assessoria de imprensa da Agesul, foi necessário que as obras fossem paralisadas para que acontecesse a manutenção do prazo contratual até que seja definido algumas tratativas entre a agência e a Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar).

O anúncio dos estudos de controle de erosão do córrego foi feito pro Governo Estadual em julho e dava a empresa responsável o prazo de 90 dias para terminá-lo. O estudo e projeto técnico, no valor de R$ 145 mil, foi solicitado pelo Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul).

Mais notícias