Nuvem de poeira vulcânica cancelou pelo menos um voo com destino a Campo Grande

Passageiros do voo 2934, da Azul, com origem em Cuiabá, partira ao destino final de ônibus fretados

A nuvem de poeira vulcânica que se formou após a erupção do vulcão Ubinas, no Peru, prejudicou pelo menos um voo com destino a Campo Grande, conforme relato dos passageiros.

Segundo as informações, quem iria embarcar no voo 2934 da Azul, de Cuiabá com destino à Capital precisou optar ou por receber a restituição do valor da passagem ou seguir em um ônibus fretado pela Companhia.

“Estava em Cuiabá com o check-in feito e cancelaram o voo dizendo que a aeronave não tinha equipamento suficiente para atravessar essa fumaça. Era para chegarmos às 6h da manhã aí, mas como estamos indo de ônibus, vamos descer por volta das 18h no Aeroporto de Campo Grande”, revelou a economista Jakeline Monteiro, uma das passageiras prejudicadas.

Segundo ela, os passageiros foram realocados em dois ônibus. “Eles ofereceram a devolução do valor da passagem ou o ônibus, porque não tinham como garantir outro voo, por se tratar de problemas climáticos”, declarou.

A reportagem buscou contato com a companhia aérea, que informou, por meio de nota, que “em razão da previsão da chegada de cinzas vulcânicas provenientes do Peru, a Azul precisou cancelar o voo AD2934 (Cuiabá-Campo Grande-Curitiba), na manhã de hoje”.

“A companhia ressalta que os Clientes impactados receberam toda assistência necessária, de acordo com a Resolução 400 da Anac, e foram reacomodados por via terrestre. A Azul lamenta os aborrecimentos causados aos seus Clientes e reforça que medidas como essa são necessárias para conferir a segurança de suas operações”, declarou a empresa aérea.

Vale lembrar que, mais cedo, tanto a FAB (Força Aérea Nacional) como a Infraero afirmaram que nenhum voo foi afetado pela nuvem de poeira vulcânica. No site da Infraero também não constavam cancelamentos ou atrasos de voos. Ainda segundo o site, pousos e decolagens ao longo do dia seguiram dentro da normalidade.

Mais notícias