Nova 14 de Julho: Estudo sugere transformar bancas em quiosques

Abrasel fez estudo para dar 'toque gastronômico' na rua que será inaugurada na sexta

Bares, quiosques, lanchonetes e quem sabe, até música ao vivo no final da tarde. Até parece que estamos falando de um shopping center ou algo do tipo, mas as semelhanças param por aí. A sequência de atrações pode se tornar frequente na nova Rua 14 de julho, que foi revitalizada e será inaugurada na próxima sexta-feira (29). A esperança é que o local ganhe um ‘toque gastronômico’ e atraia mais campo-grandenses também em busca de lazer.

A princípio, as opções estão em estudo feito pela Abrasel-MS (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes). Uma pesquisa foi feita entre a associação e o conselho da própria avenida e a intenção é levar vida para a região. Se depender do presidente Juliano Battistel Wertheimer, a 14 de Julho poderá ter uma nova cara após às 18 horas com “espaços para sorvetes, cafés, doces, salgados”.

“Nossa sugestão é que se crie espaços que substituam as barracas de revistas, que não têm mais e criar pequenos quiosques. Porque o horário que fecham as lojas é o horário que todos os funcionários podem estar ali confraternizando, consumindo e alongando o período de exploração”, explica Juliano.

Para que isso possa sair de apenas uma sugestão e vire realidade para os campo-grandenses, Wertheimer afirma já existem conversas com a Prefeitura de Campo Grande para que se apresente uma ideia concreta e assim, esperar a resposta. “O que traz vida e alegria são os bares, restaurantes, lanchonetes e quem sabe algumas músicas no final da tarde”.

“O que depende de nós e da Prefeitura é criar espaços nas vias públicas para ajudar a povoar e trazer vida naquele horário. A gente estimula que quem investe no setor, olhe com carinho para a 14 de Julho, porque agora vai ser a nossa rua principal de comércio e passeios na cidade”.

O objetivo da ação é claro: voltar a fazer com que as pessoas sintam prazer em estar passeando pela avenida. Wertheimer pede que a população aproveite os espaços que foi reformado e entregue. Já para os empresários, o presidente acredita que os frutos poderão ser colhidos com a revitalização e a nova estrutura que a 14 de Julho oferecerá.

O Jornal Midiamax entrou em contato com a Sectur (Secretaria Municipal de Cultura e Turismo) para mais detalhes sobre o projeto apresentado pela Abrasel, mas não houve retorno até a publicação da reportagem.

Hotel Campo Grande

Além da revitalização da 14 de Julho, levar moradores para o Centro da cidade também é um dos objetivos do Reviva Centro. Recentemente o prefeito Marquinhos Trad falou sobre a ideia de transformar o Hotel Campo Grande, atualmente abandonado, em unidades habitacionais e povoar o centro da cidade. A proposta, que ainda depende de recursos, prevê a reestruturação do antigo hotel para 117 unidades habitacionais, sendo 57 apartamentos de 30,98m² e 65 de 28,15m².

Porém, a ideia inicialmente foi criticada por algumas pessoas que temeram pela criação de um ‘favelão’ no centro da cidade. Muitas pessoas questionaram a destinação e o perfil do público que ficaria no conjunto habitacional.

Revitalização entregue

A nova 14 de Julho receberá a Delinha, Balão Mágico e outras atrações durante os shows de inauguração, que acontecem na próxima sexta-feira (29) às 17h. A rua revitalizada com o projeto Reviva Campo Grande terá pelo menos cinco atrações para os campo-grandenses.

Mais notícias