Mulheres motoristas de aplicativo podem escolher dirigir só para outras mulheres

Inciativa visa estimular o empoderamento financeiro feminino na América Latina

Dos mais de 600 mil motoristas no Brasil, apenas 6% são mulheres e criar um aplicativo para uso apenas do sexo feminino acaba se tornando inviável para aplicativos de carona. Mas o recurso para que as motoristas escolham apenas dirigir para outras mulheres já está disponível na plataforma . O recurso foi anunciado durante o evento realizado em São Paulo na quarta-feira (6), junto com outas seis ferramentas de segurança.

Conforme anunciado pela diretora geral da Brasil, Claudia Woods, o recurso já está em teste em três cidades do Brasil: Campinas, Curitiba e Fortaleza e deve se expandir para todo o território nacional em 2020.

Chamada de ‘Elas na Direção’, a iniciativa tem como proposta estimular que novas mulheres se tornem motoristas parceiras na plataforma. “Analisando a base de motoristas cadastrados na plataforma, vimos que existe uma grande diferença entre o número de homens e mulheres que, de fato, aproveitam essa oportunidade para gerar renda”, disse em comunicado.

As motoristas poderão acionar a opção U-Elas, ao se inscreverem na plataforma, e caso haja demanda por um passageiro homem, ela poderá cancelar a corrida. Mas caso não haja demanda é possível também desligar a opção. “As mulheres vão pode escolher dirigir o dia todo só para mulheres, ou apenas em um período em que achem mais perigoso”, ressaltou Claudia, durante a apresentação que aconteceu em São Paulo.

Ainda na temática feminina, a plataforma já disponibiliza também vídeos e materiais educativos realizados em parceria com outras instituições visando o empoderamento feminino e o combate à violência contra a mulher.

“Como mulher, entendo os desafios que enfrentamos no dia a dia e queremos que o deslocamento não seja mais um deles. Continuaremos a auxiliar no empoderamento econômico e seguir na prevenção à violência de gênero”, conclui Claudia ao anunciar o investimento de R$ 5 milhões nos próximos três anos para projetos de enfrentamento à violência contra a mulher.

Recursos de segurança

Dos seis novos recursos anunciados pela plataforma, dois são inéditos no mundo, a possibilidade de gravação de áudio no aplicativo, durante as corridas, e a verificação de documentos dos usuários. E quatro são inéditas na América Latina: senha ultrassom para ajudar a verificar a viagem, aprimoramento no recurso de selfie do motorista, ferramenta para checagem de rota e opção de reportar um problema antes de terminar a viagem.

Conforme explicado pelo diretor global de produtos de segurança da empresa, Sachin Kansal, os motoristas e os usuários poderão agora gravar as conversas que ocorrem durante as corridas, caso se sintam incomodados. Esse áudio ficará criptografado dentro o aplicativo, podendo ser apagado pelo usuário ou reportado à plataforma para que haja uma investigação do ocorrido, sendo compartilhado o conteúdo apenas com autoridades policiais, nos termos da lei.

Mulheres motoristas de aplicativo podem escolher dirigir só para outras mulheres
(Ana Paula Chuva, Midiamax)

Na intenção de prevenir também as pessoas que usam o aplicativo de forma mal-intencionada, a plataforma implantou um projeto piloto no Chile, para escaneamento de documentos. Para pagamentos digitais, o usuário precisará escanear um documento de identificação. O recurso deve chegar no Brasil em 2020.

Além desses recursos, a selfie que os motoristas já realizam para entrar no aplicativo agora será em movimento para evitar as fraudes usando foto de outra foto.  A rota será checada em tempo real sinalizando eventos raros como paradas longas e não previstas, sendo enviadas perguntas ao motorista e ao passageiro para saber se há algo errado.

Há também a senha ultrassom, para verificação de viagem evitando que os passageiros entrem em carro errado, novidade ainda que está sendo aprimorada pela empresa.  E a possibilidade de reportar algum problema durante a viagem. Antes para enviar a reclamação era preciso que a viagem tivesse sido encerrada, novidade que visa minimizar os danos aos usuários.

Durante o evento foi anunciado ainda que São Paulo ganha um Centro de Tecnologia da , responsável em desenvolver ferramentas de segurança para a América Latina, ampliando em 30% a equipe de engenheiros e especialistas em tecnologia da plataforma.

No centro será investido um total de R$ 250 milhões. “Serão mais de 40 pessoas desenvolvendo soluções para o Eats com o objetivo de elevar o padrão de segurança, pois essa sempre foi a nossa busca, desde o começo”, destacou Sachin Kansal.

Mulheres motoristas de aplicativo podem escolher dirigir só para outras mulheres
Mais notícias