Divididos, motoristas adiam paralisação dos ônibus em Campo Grande

Sem apoio do sindicato, a categoria fará reunião para discutir possível data para paralisação

Após o STTCU (Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Coletivo Urbano de Campo Grande) alertar os motoristas do Consórcio Guaicurus sobre paralisação ser ilegal, grupo de motoristas que paralisariam as atividades nesta sexta-feira (6), das 4h30 às 6h30, teriam decidido por adiar o ato.

Conforme informou uma das lideranças ao Jornal Midiamax, a decisão teria sido tomada para não prejudicar a população no 5° dia útil do mês. No entanto, um dos líderes do grupo, que age de forma independente, afirmou que a paralisação apenas foi adiada. “Não excluímos a hipótese de fazer [a paralisação] na segunda-feira. Mas vamos avisar a população com antecedência”, disse.

Mais cedo, o diretor do sindicato disse a reportagem que estava ciente da ilegalidade da paralisação, pois o ato somente acontece quando se esgotam todas as possibilidades de diálogos entre as partes. Sem o apoio do sindicato, alguns motoristas da Viação Campo Grande, por exemplo, afirmaram posteriormente que estariam de fora da manifestação e sairiam normalmente da garagem da empresa.

O fato do Consórcio Guaicurus ter entrado com pedido de intermediação no TRT-MS (Tribunal Regional do Trabalho) também teria pesado para a decisão. “Como não estamos organizando essa paralisação com o sindicato, estamos liberais, decidimos averiguar certinho com os nossos advogados para ver o que estão alegando”, pontuou motorista.

A categoria ainda estaria organizando uma reunião pela manhã desta sexta-feira para discutir assuntos referentes à negociação e quando deverá ser a provável data para a paralisação. Os motoristas ainda planejam uma passeata no sábado (7) para reivindicar o aumento salarial em 13% e aumento no valor do ticket alimentação.

Mais notícias