Após décadas de tapa-buracos, Prefeitura mapeia problemas nas ruas para recapeamentos

Equipe da Sisep fotografa vias que serão recapeadas e identifica 'anomalias' no asfalto

A Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos) faz um levantamento a campo com a situação do asfalto de 60 km de ruas, que serão recapeados nos próximos anos em Campo Grande. O objetivo é descrever as ‘patologias’ e fazer um levantamento fotográfico com toda a extensão das vidas onde o asfalto deve ser refeito.

O secretário da Sisep, Rudi Fiorese, conta que o mapeamento é um trabalho minucioso, que envolve estagiários e profissionais formados em engenharia. As informações levantadas pela equipe estão alimentando um banco de dados que servirá de base para elaboração dos projetos e cálculo dos custos.

Segundo informações da Prefeitura, o levantamento começou na região do Bandeira, onde está programado o recapeamento de 17 km. O trabalho das equipes, de fotografar e contornar com giz cada uma das imperfeições (buracos, panelas, remendos, rachaduras e depressões), tem despertado a curiosidade e gerado especulações entre moradores, comerciantes e transeuntes.

“Não se trata da identificação de locais para uma futura operação tapa-buraco, mas do mapeamento das imperfeições no asfalto”, explica o secretário. A partir da identificação das ‘patologias’, de acordo com o secretário, é que será definida a solução para cada trecho.

Fiorese explica que o desgaste é tão acentuado, que apenas recapear não resolve o problema. Ele aponta que há necessidade de refazer a base do pavimento em alguns locais, o chamado ‘remendo profundo’.

Mais notícias