Instituto estima 830 novos casos de câncer de mama em MS durante 2019

Do total, 370 são em Campo Grande

O Inca (Instituto Nacional de Câncer) divulgou uma pesquisa sobre a situação do câncer de mama no Brasil. A pesquisa apontou que para o ano de 2019 a estimativa é de que sejam registrados 830 casos da doença em Mato Grosso do Sul – 60,9 a cada 100 mil mulheres. Dessas 370 seriam em Campo Grande.  Os números são os mesmos divulgados na estimativa de 2018.

A pesquisa revela ainda que a mortalidade do câncer de mama no país é baixa em relação a outros países, com uma taxa de 13 por 100 mil, ao lado de países desenvolvidos como EUA, Canadá e Austrália, e melhor do que alguns deles, como a França e o Reino Unido.

Mato Grosso do Sul é o segundo estado com menor taxa de incidência do Centro Oeste, em 2019, ficando atrás apenas do Mato Grosso com 680 casos estimados de câncer de mama. Para o país, são estimados 59.700 casos novos de câncer de mama em 2019, conforme o Inca.

A análise da situação do câncer de mama no Brasil, 2018, foi apresentada pelo Inca durante cerimônia de celebração do Outubro Rosa, nesta segunda-feira (07), no Rio de Janeiro.

Conforme o Ministério da Saúde, ano a ano, o Brasil vem conseguindo aumentar o percentual de casos diagnosticados nos estágios in situ (considerado zero) e I de 17,3% em 2000 para 27,6% em 2015. Mas essa proporção continua muita baixa na região Norte (12,7%), em contraste com as regiões Sul (29,2%) e Sudeste (30,8%). Mas é necessário avançar na prevenção e diminuição das desigualdades regionais e socioeconômicas.

Vale destacar que a mortalidade por câncer de mama está ligada principalmente ao acesso a diagnóstico e tratamento adequado no tempo oportuno. O objetivo é diagnosticar o câncer o mais precocemente possível, ainda nos estágios iniciais da doença, quando o tratamento é mais efetivo.

 

Mais notícias