Início de obras no lago maior cria cenário de lama e areia no Parque das Nações

Com o lago quase seco, cenário chama a atenção de campo-grandenses

Há uma semana, começaram as obras de desassoreamento do lago menor do Parque das Nações Indígenas, em Campo Grande. O desassoreamento do lago maior já começou e nesta terça-feira (18), o local já está quase seco e chama a atenção de quem passa pelo Parque.

A Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) explica que na segunda-feira (17), começou a secagem do primeiro nível do lago maior. Por enquanto, os peixes ainda não serão retirados e a decisão sobre onde alocar os animais será feita com o início da secagem do segundo nível.

A Prefeitura de Campo Grande irá analisar se os peixes devem alocados no lago menor, onde os sedimentos já foram retirados, ou se os animais vão para um reservatório. A primeira fase da drenagem dura cerca de 24 horas. Com a secagem do lago maior, a paisagem de lama e areia começa a chamar a atenção dos campo-grandenses.

O superintendente da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos), Mehdi Talayeh, explica que a secagem do lago foi uma decisão conjunta entre o Governo e o município, necessária para dimensionar sobre como retirar a areia. Ainda na tarde desta terça-feira (18), será decidido a necessidade de abertura de um segundo dreno.

“Estamos trabalhando com Imasul para ver necessidade da retirada dos peixes, pode ser que consigam ficar na parte mais profunda. Vamos ver se os peixes vão ficar aqui, se tem oxigênio suficiente”, disse.

 

Foto: Daiany Albuquerque

Há cerca de três meses, o assoreamento do lago do Parque das Nações Indígenas começou a preocupar os frequentadores do local. Manifestantes colocaram cruzes no banco de areia e até fizeram um ‘abraço’ no lago, para chamar a atenção das autoridades.

Depois, o Governo do Estado e a Prefeitura Municipal anunciaram parceria para o projeto de desassoreamento dos lagos de contenção do Parque, obras para solucionar o problema de assoreamento da cabeceira da Microbacia do Córrego Prosa e o lançamento de sedimentos na rede de drenagem do Córrego Reveilleau e o Córrego Joaquim Português.

O Parque das Nações Indígenas em Campo Grande receberá obras de revitalização e, além das obras de desassoreamento dos lagos, parque receberá nova iluminação e instalação de sistema de câmeras de segurança. Ao todo, serão investidos R$ 2.239.980.

Mais notícias