Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Homem terá apoio da OAB após 6h acorrentado em frente a Fórum de MS

Protesto seria contra ex-esposa e lei Maria da Penha

Um homem de 54 anos, passou 6h acorrentado em frente ao Fórum no município de Dourados. O protesto seria porque, de acordo com as alegações dele, ele estaria impossibilitado por decisão judicial de se aproximar da sua casa e do seu comércio em um bairro da cidade.

Nelson Gonçalves da Cruz, é feirante e se acorrentou no local na manhã de quinta-feira (10), e de acordo com o jornal Dourados News, a ação foi motivada pela ex-esposa e contra Lei Maria da Penha, que segundo ele, ambas o teriam colocado na rua.

Em 2018, o homem teria flagrado a então esposa e com o ex-namorado dela, desde então vem sendo acusado de ameaça, e por determinação da Justiça precisa ficar distante 200 metros da residência onde morava com a companheira.

Nelson, afirmou não ter agredido nem ameaçado a mulher, e se sente injustiçado pela situação. Ao ir até o Fórum para saber da situação do processo, já que desde a decisão precisou sair de casa e arrumar outro emprego, o juiz teria pedido para que o acusado tivesse paciência.

“O juiz disse que eu preciso ter paciência, mas não concordo com essa situação. Não fui eu quem trai. Trabalhei duro a vida inteira para conquistar o que eu tenho e agora preciso morar de favor, aluguel e trabalhar de empregado? Para me sustentar comecei emprego em uma conveniência”, disse o feirante.

Foi então que Nelson decidiu se acorrentar ao local para conseguir agilidade no processo. O feirante, acreditava que seria preso, mas decidiu permanecer.  “Meu advogado disse pra mim sair de lá, que eu poderia ser preso, mas eu resisti porque pior do que está não dá pra ficar”, comentou.

Após 6h de protesto e a massiva repercussão do caso,  a OAB teria então se colocado à disposição para contribuir com o caso do feirante. Ainda de acordo com o Dourados News, o presidente da 4ª subseção de Mato Grosso do Sul, Alexandre Mantovani, a instituição prestará suporte junto aos advogados de ambas as partes para otimizar o seguimento do processo.

“O Nelson estava lá manifestando mesmo contra a morosidade, que é um problema crônica na Justiça Brasileira. Nós como instituição iremos acompanhar o caso e junto aos advogados vamos intervir na Vara da Família e na 1ª Vara Cível”, disse.

Mantovani ressaltou há muitos outros processos como o de ontem. “Nós sabemos da dificuldade que o Nelson enfrenta. Há muitos outros processos como o dele”, afirmou.

Nelson garantiu que não descarta a possibilidade de retornar ao protesto, caso as ações não ocorram como prometido. “Estou contando com esse apoio para agilizar o meu processo, mas caso não ocorra não descarto a retomada”, concluiu.

Prisão

O homem chegou a ser preso na época do caso,  acusado por violência doméstica. Ele nega as acusações e disse não existir laudos comprovando isso, porém, por determinação judicial, existe uma medida protetiva para que fique distante da ex-mulher.

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...