Greve de administrativos continua, mas seguirá determinação de liminar

Justiça determinou que apenas 1/3 da categoria poderá paralisar

Assembleia de servidores administrativos da educação deliberou, no início da tarde desta terça-feira (21), que manterá a paralisação da categoria, mesmo com a determinação judicial de que 2/3 da categoria mantenha-se nas atividades.

Na prática, os serviços executados pelos administrativos, tais como limpeza, manutenção, preparo de alimentação e serviços administrativos, continuarão sendo executado, porém, com redução do efetivo em 1/3.

Pelo menos 600 trabalhadores participaram da assembleia, iniciada às 9h de hoje, no auditório da Fetems (Federação dos Trabalhadores da Educação de Mato Grosso do Sul). Muitos dos presentes vieram do interior do Estado – ao menos 50% dos municípios, segundo a Fetems, aderiram à paralisação. Em Campo Grande, até esta manhã, seriam 90% do efetivo.

A categoria ainda delibera sobre as atividades do comando de greve e se deverá manifestar-se no Parque dos Poderes, em frente a SED (Secretaria de Estado de Educação), como fez em 2018 – ano em que o governo anunciou incorporação de abono de R$ 200, escalonado, após paralisação que durou quatro dias.

Vale lembrar, no entanto, que a incorporação não ocorreu e o governo do Estado anunciou, este ano, que o abono seria cortado, além de sinalizar que não haveria reajuste. Uma reunião está prevista para a manhã da quinta-feira entre a direção da Fetems e o secretário adjunto da SED.

* Matéria atualizada às 12h10 de 22/05/19 para correção de informação.

Mais notícias