Publicidade

Governo oficializa fechamento de duas escolas em Campo Grande

Segundo a SED, os alunos serão integrados a outras unidades educacionais na Capital

O Governo de Mato Grosso do Sul publicou hoje (29) no DOE (Diário Oficial do Estado) o fechamento das escolas estaduais Professor Otaviano Gonçalves da Silveira Júnior e a Zamenhof, ambas instaladas em Campo Grande (MS). Os alunos serão integrados a outras unidades educacionais da Capital.

O órgão já havia publicado o fechamento de outros dois colégios: Riachuelo e Abadia Faustino, em Camapuã (MS), 135 quilômetros de Campo Grande. Segundo o Governo do Estado, o reordenamento foi realizado em por diversos fatores, mas o principal seria a diminuição de 45 mil alunos de Rede em 10 anos. Além disso, foram levados em consideração a obrigatoriedade de o ensino básico e fundamental serem fornecido pelos Municípios e o médio pelo Estado; espaço físico das escolas e o foco do ensino.

Justificativa

De acordo com a Secretaria da Educação o motivo da desativação da Escola Zamenhof se deve ao fato de que ela funcionava em prédio alugado. A SED alegou ainda que a economia será de R$ 90 mil por ano e que todos os alunos tiveram a oportunidade de escolher a nova escola em que estudariam.

Reordenamento

Em Camapuã, a escola que teve as atividades encerradas foi a Abadia Faustino. Suas atribuições foram transferidas para outra unidade de ensino. A Escola Estadual Otaviano Gonçalves, no Residencial Flamingos, foi desativada, segundo a secretária, a pedido da própria comunidade.

Ainda conforme o órgão, o bairro teve um processo de ‘envelhecimento’ em que a demanda escolar de crianças e adolescentes caiu. Com isso, haverá a transferência, dos cerca de 400 alunos restantes, para a Escola Estadual Arlindo Gomes de Andrade – que fica no mesmo bairro (cerca de 100 metros).

A Escola Riachuelo, que teve o maior número de reclamações, no fim de dezembro, foi ‘transferida’ para um dos andares da Escola Hércules Maymone, a aproximadamente seis quilômetros de distância), a SED explicou que a medida foi realizada por conta da localização, uma vez que onde estava instalada, no Cabreúva, não havia facilidade de ônibus.

Mais notícias