Fim do mistério: Foto revela como serão os novos micros do Consórcio Guaicurus

Veículos devem chegar a Campo Grande ainda no final deste mês

Com a promessa dos novos micro-ônibus chegarem a Campo Grande no final deste mês, uma foto compartilhada em um site de fotografias de ônibus, divulgou como será o modelo dos 15 veículos que foram comprados pelo Consórcio Guaicurus. Os novos veículos fazem parte da remessa dos 55 carros que foram adquiridos.

O modelo ‘Sênior’ é um pouco diferente dos atuais que circulam pelas ruas da Capital. Porém, eles estarão com a mesma pintura dos veículos recém-chegados, seguindo a padronização de cores que foi aplicada após portaria da Diretan (Diretoria de Transportes) ser publicada no Diário Oficial de Campo Grande, no dia 2 de setembro.

Segundo apurou o Jornal Midiamax, o veículo foi visto deixando a garagem da Marcopolo em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul. Fotógrafo e entendedor do assunto, Guilherme afirmou que o modelo terá um espaço para cadeirante e duas portas. “Roubando mais espaços onde poderiam ter bancos”. Ainda de acordo com o fotógrafo, possivelmente a capacidade será de 22 passageiros dentro do veículo.

“Acaba sendo um retrocesso, [os micro-ônibus] tem menor capacidade para passageiros. Um veículo alongado, que rodam na 070, por exemplo, comportam 90 passageiros. Um veículo curto, como os que rodam em linhas azuis, de bairro, comportam entre 60 e 70. Já os micros comportam apenas 32, no máximo”, explica Gabriel Santos, um dos administradores da página Ligados no Transporte.

A princípio, nem Consórcio e nem a Agetran (Agência Municipal de Transportes e Trânsito) definiram quais linhas receberão os micro-ônibus. Entretanto, o Jornal Midiamax identificou que a maior possibilidade é de os veículos circularem em bairros de pequenos fluxos de passageiros.

‘Mal necessário’

Marquinhos Trad informou que os polêmicos 15 micro-ônibus que chegarão à Capital tem compra prevista no contrato e ainda não tem definição de quais linhas do transporte público vão trafegar.

João Rezende também comentou que a compra dos veículos é um “mal necessário” pois existem ruas da cidade que não comportam os veículos maiores. “Os micro-ônibus, assim como os outros, serão instalados de acordo com a demanda da linha. Hoje os micro-ônibus é um mal necessário porque algumas linhas impedem que os ônibus convencionais andem”.

Mais notícias