Escorpião na Maternidade Cândido Mariano acende alerta para cuidados

A exterminação do aracnídeo foi feita pela própria equipe do hospital

Um escorpião foi encontrado próximo a recepção na Maternidade Cândido Mariano na madrugada desta terça-feira (18). A exterminação do aracnídeo foi feita pela própria equipe do hospital. Segundo informações da assessoria de imprensa, não houve nenhum contato direto com os pacientes e pessoas que estavam aguardando no local.

A informação chegou até o Jornal Midiamax que apurou o ocorrido. Segundo a fonte, que não quis ser identificada e que estava no hospital quando o fato aconteceu, o bicho foi visto na recepção em cima do balcão sobre as fichas dos pacientes. Uma enfermeira, que avistou o escorpião, o jogou no chão e exterminou com álcool.

Em contato com a assessoria de imprensa do hospital, foi confirmado o ocorrido. Ainda de acordo com eles, a Maternidade também intensificou as ações de higienização realizadas pela equipe, como revisão de todos os ralos e janelas, além da aplicação de produtos próprios para a situação.

“A Maternidade Cândido Mariano informa que a empresa contratada para dedetização realiza inspeções de 15 em 15 dias no hospital e não encontrou nenhum escorpião na última verificação, realizada no dia 12 de setembro. Porém, setembro é o mês que costumam aumentar os relatos de aparições do aracnídeo, por conta do tempo quente, em toda a cidade. Vale lembrar que o centro de Campo Grande possui muitos prédios antigos, próximos a Maternidade, que servem como criatórios e abrigos desses animais. Também informamos que sempre são inspecionadas as caixas de esgoto, além de outras possíveis áreas de abrigo para os aracnídeos dentro do hospital”, declarou a assessoria.

Nesta terça-feira (17), foi realizada uma dedetização em locais estratégicos. A assessoria também disse que não há acúmulo de entulhos no hospital e que ações de controle de pragas do prédio e das enfermarias ocorrem não só quinzenalmente, mas também quando há necessidade.

Cuidados específicos

Conforme a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) só em 2019 foi registrada 499 denúncias e ocorrências envolvendo escorpiões na Capital. Os dados são de janeiro a julho e o mês de abril foi o que mais se destacou, registrando 134 casos. Em 2018, durante os sete meses, foram 377 registros, ou seja, 122 acontecimentos a mais neste ano.

Por isso, se deparar com um aracnídeo fique atento às recomendações da Sesau e como evitar acidentes:

Em caso de acidente, a recomendação é ir até uma unidade de saúde de urgência e emergência (UPA ou CRS), onde tomará medicação e ficará em observação, para controlar imediatamente uma possível reação alérgica ao veneno do animal. Crianças e idosos são quem mais precisam de atenção quando picados por escorpiões.

Se possível, a pessoa deve colocar o escorpião em um recipiente com álcool, evitando o contato e um novo acidente, e levá-lo ao CCZ (Centro de Controle de Zoonoses). Assim, a unidade identificará a espécie do animal e definirá quais medidas devem ser tomadas para a extinção do artrópode na residência.

Os escorpiões costumam se esconder em locais escuros e úmidos. Por isso, a indicação é manter sempre o quintal limpo, evitando assim outros problemas como dengue, leishmaniose, baratas e outros animais que geram problemas tanto para nós, seres humanos, quanto para os animais domésticos.

Folhas acumuladas, restos de materiais de construções que estão guardados sem utilidade, garrafas e outros inservíveis – itens que permanecem reservados, mas que não têm mais uso – são abrigos perfeitos para esses animais. Latas de lixos e caixas de gordura mal fechadas também, já que nesses locais existem restos de comidas que atraem insetos que são alimentos aos escorpiões.

Mais notícias