‘Embora justa, é impossível’, diz prefeito sobre reivindicação de sindicalista detido

Marquinhos Trad disse que não sabia que Tabosa havia sido levado para a Deops

Depois que o presidente do Sisem (Sindicato dos Servidores Municipais de Campo Grande) foi levado para a delegacia durante um protesto na manhã desta terça-feira (13), o prefeito Marquinhos Trad (PSD) comentou o caso. Ele disse que não sabia que o sindicalista havia sido levado para a Deops (Delegacia Especializada de Ordem Política e Social), mas que a reivindicação dos servidores era legítima.

“A reivindicação dele [Marcos Tabosa], embora justa, é impossível de ser atendida”, disse. Trad afirma que os trabalhadores não protestavam por falta de reajuste ou por um atraso de salários, já que isso não acontece.

Segundo o prefeito, a categoria queria a reposição salarial de gestões anteriores, o que não seria possível. “[As reposições] somam quase 20%,não é possível. O que demos foi um reajuste linear para todos os servidores”.

‘Perturbação de sossego’

Tabosa foi encaminhado para Deops. (Foto: Henrique Arakaki)

Enquanto fazia um protesto com cerca de 100 servidores em frente à Prefeitura de Campo Grande, o presidente do Sisem, Marcos Tabosa, foi levado para a delegacia. Segundo policiais, ele foi levado por perturbação de sossego.

Duas viaturas da Polícia Civil e uma da Guarda Municipal compareceram à Prefeitura para levar Tabosa à Deops. Conforme um investigador de polícia, que conversou com o Jornal Midiamax, a manifestação dos trabalhadores é legítima, mas Tabosa já tinha sido alertado sobre a perturbação de sossego, causada pelo carro de som e microfone em protestos.