Em Ponta Porã, terceirizados prometem protesto após três meses sem pagamento

Secretário de Saúde disse que funcionários estão ‘mirando o alvo errado’

Funcionários de duas empresas terceirizadas prometem que vão fazer protesto na próxima semana, na segunda-feira (14), no Hospital Regional de Ponta Porã, 346 km de Campo Grande. Os funcionários afirmam, conforme o Porã News, que estão sem o pagamento de salário há três meses e sem a rescisão trabalhista.

O secretário Geraldo Resende, da SES-MS (Secretário Estadual de Saúde), disse estar ciente do movimento, mas os funcionários “estão mirando o alvo errado”. Segundo Resende, o governo cumpriu compromissos inclusive usando passivo da empresa para pagar corpo médico e funcionários, mas compromisso com terceirizados é responsabilidade do Instituto Gerir.

Segundo trabalhadores, organização social havia feito contratações por meio de duas empresas. “Nossa relação é direto com a Gerir, e ela quem contratava essas empresas [terceirizadas] e nós estamos tentando viabilizar uma forma para que eles não sejam prejudicados. Agora, eles tem que manifestar contra a Gerir, eles estão mirando no alvo errado”, disse a reportagem.

Funcionários chegaram a manifestar insatisfação nesta sexta-feira (12), mas voltarão para protestar na segunda-feira (14).

Mais notícias