Na 13 de maio, fiéis de 48 igrejas confeccionam tapete de Corpus Christi na Capital

Reforma na 14 de Julho fez a montagem trocar de rua e religiosos tiveram que se adaptar ao novo local

O tradicional tapete de Corpus Christi está sendo confeccionado em 1,2 quilômetro da 13 de Maio, no Centro de Campo Grande, nesta quinta-feira (20). Com a reforma na 14 de Julho, os fiéis precisaram se adaptar com o novo local, situação relatada por todos os grupos e resolvida tranquilamente.

A data é considerada uma das festas mais importantes da igreja católica, por celebrar o ministério da eucaristia, ou seja, o sacramento do sangue e corpo de Jesus Cristo. São 48 igrejas reunidas, nas quadras entre a avenida Mato Grosso até a Fernando Corrêa da Costa, onde cada paróquia fica responsável por um trecho, que vai de 5 a 55 metros.

Foto: Leonardo de França

Joana Inês Bitencourt, 56 anos, da Paróquia Cristo Luz dos Povos, faz parte do grupo responsável por 40 metros do tapete, representando cinco comunidades. “A gente vê o esboço traçado no chão e quando terminamos, vemos como ficou lindo, é muito emocionante”, relata.

Os principais materiais usados são areias coloridas, serragem, pedras pintadas e até tampinhas de garrafas pets. “Sentimos muita alegria em poder participar do tapete. Esperamos o ano inteiro para fazer isso”, diz José Mauro, 23, do cursilho Decolare.

Com José, estão participando 60 jovens, que relatou ter sentido diferença de não estar na 14 de Julho esse ano por conta das lanchonetes. “Lá tinha mais lanchonetes para comer alguma coisa ou comprar algo para beber, mas nos preparamos para isso, trazendo o que precisamos”, explicou o estudante.

Franci Ticinin, 34, é uma das 50 pessoas da paróquia São João Evangelista, que foram colocados em uma área onde o pavimento estava com buracos. “Participo da montagem do tapete há 20 anos, se deixei de vir foi uma ou duas vezes por motivo de doença. Nossa única dificuldade foi um buraco na rua mesmo”, contou.

Agenda

De acordo com as informações da Arquidiocese da Capital, as ruas que cruzam a 13 não foram interditadas, mas estão sob supervisão da Agetran (Agência Municipal de Trânsito).

No período da tarde haverá a Santa Missa, a partir das 15h, no cruzamento da 13 de Maio com a Antônio Maria Coelho, presidida pelo arcebispo dom Dimas Lara Barbosa. Ao final, acontece a tradicional procissão, com rezas de bênçãos aos doentes, aos governantes e às famílias na avenida Fernando Corrêa da Costa.

Mais notícias