Reduto de paz e tranquilidade? Em MS, 16 municípios não registraram homicídios em 2018; confira quais

Em cinco deles, assassinatos não ocorrem desde 2017

Dados estatísticos divulgados nesta quinta-feira (17) pela Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) apontam que 16 localidades de Mato Grosso do Sul não registraram nenhum homicídio ao longo do ano passado.

Em comum, as localidades têm o fato de serem cidades de até 15 mil habitantes, em diversas regiões do Estado. São elas: Angélica, Batayporã, Bodoquena, Brasilândia, Caracol, Corguinho, Figueirão, Iguatemi Jaraguari, Laguna Carapã, Novo Horizonte do Sul, Rochedo, Santa Rita do Pardo, Selvíria Taquarussu e Vicentina.

Vale destacar que, de acordo com a Sejusp, cinco delas também não tiveram registro de homicídios em 2017: Figueirão, Jaraguari, Novo Horizonte, Selvíria e Taquarussu.

Para o governo do Estado, políticas de segurança pública, como o programa MS Mais Seguro – para o qual mais de R$ 120 milhões foram destinados à compra de viaturas, armamentos, equipamentos de segurança aos policiais e no aperfeiçoamento do serviço de inteligência – influenciam nos indicadores.

De forma geral, conforme a Sejusp, dos 12 tipos de crimes monitorados pela pasta, 10 sofreram queda, um manteve-se inalterado e apenas um registrou aumento. Com isso, a redução média do crime, conforme o cálculo da Sejusp, foi de 10,04%. Já em relação aos homicídios, a queda foi de 14% em 2018, referentes a 443 casos.

Investimento

Os cinco municípios que há dois anos não registram assassinatos ficam na Regional de Nova Andradina. Responsável pelo polo no qual estão as cidades, o delegado Andre Luiz Novelli Lopes destaca que as ações conjuntas foram fundamentais para a obtenção desse resultado.

“O trabalho integrado desenvolvido pelas forças de segurança pública em nossa região se mostraram eficazes para o combate à criminalidade de um modo geral, e foram cruciais para que se alcançasse o cenário de inexistência dos crimes de homicídios na maioria das cidades que compõem a unidade regional”, avaliou o delegado. (Com informações da assessoria)

Mais notícias