Em celebração da morte de Cristo, paróquia lota com 500 fiéis

Jejum, silêncio e orações marcam o dia

A Sexta-feira Santa, ou Sexta-feira Maior, é a data em que se celebra a paixão e morte de Jesus Cristo, para os católicos este é o dia do silêncio, jejum e oração. Na Paróquia Santo Antônio, localizada na avenida Calógeras, em Campo Grande, contou com a presença de aproximadamente 500 fiéis nesta tarde para a celebração.

Denominada celebração de adoração da Santa Cruz, ou beijo na cruz, o evento não é chamado de missa. As imagens são cobertas com um pano roxo, não é feita a comunhão e a toalha é retirada do altar.

Após a celebração, geralmente é feita a encenação da morte de Cristo, em memória daquilo que foi vivido pelo Messias. Respeitando sem o silencio e as orações.

Na Paróquia Santo Antônio, a celebração é dirigida pelo vigário Padre Emilson José Bento, o pároco Odair Costa e o bispo emérito Dom Vitório Pavanelo.

Aos 83 anos, Nivalda Cunha, conta que frequenta a paróquia desde 1957. “Na época a igreja era bem diferente, antes da reforma. Cheguei a cantar no coral do Papa João Paulo II. Todos os anos participo da semana santa”, disse.

O casal Nayara Shinzato, 21 anos e Dgeivison Antônio, 20 anos, vão juntos a celebração. Para ela, que está há 4 anos na igreja a Semana Santa é rotina obrigatória. “São as missas mais importantes do ano, elas falam da trajetória de Jesus. Eu venho sempre”.

Dgeivison confessa que passou a frequentar a igreja pela esposa, mas que nesse ano que vai ao local entendeu o significado e passou a gostar da celebração.

Mais notícias